Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Música de quarta


Por favor, leia a carta que eu deixei na sua porta

Share

A Glória de Eike


Do Radar on-line

Depois de comprar o tradicional Hotel Glória, o homem mais rico do Brasil, Eike Batista, acaba de adquirir a empresa que detém a concessão da Marina da Glória, um espetacular ponto de entretenimento em plena Baía de Guanabara. O negócio acaba de ser assinado no Rio de Janeiro.

Eike fará uma reforma de cima a baixo no local, que dispõe de cais para centenas de embarcações. Novos restaurantes, lojas, local para shows e convenções serão construídos em seus 105 mil metros quadrados de área útil.

Além disso, o ex-marido de Luma de Oliveira já está negociando com a churrascaria Fogo de Chão a abertura - na nova Marina da Glória - da sua primeira filial no Rio de Janeiro. O total do investimento gira em torno de R$ 150 milhões.

Matéria editada pelo RA.

Share

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Parabéns pra você


Edição inaugural da revista Cidades do Rio, produzida pelo grande amigo Celso Dutra, em homenagem ao aniversário da cidade que é a razão maior da existência do RA.

Entre depoimentos e matérias que contam a rica história de Resende, uma crônica visual - com fotos deste que vos bloga - do cotidiano da cidade.

A princípio, a revista será vendida na Revistaria Agulhas Negras (preço ainda não divulgado). Novas informações a qualquer momento durante a nossa programação.

Atualização do RA: Celso Dutra manda avisar que o preço da revista - que estará nas bancas a partir de sexta-feira - é R$ 10,00.

Share

É hoje


Enviado pelo grande Lu Gastão.

Share

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O dilema do Zé Laia


Manuel Zelaya, presidente deposto de Honduras

Cesar Maia, no seu ex-Blog (via e-mail)

1. O governo interino de Honduras deu 10 dias para o Brasil informar qual o status do Zé Laia na embaixada do Brasil: Asilado? Hóspede? O governo brasileiro diz que não aceita prazo. Bem, enquanto isso, vai ficando como hóspede. Mas o governo brasileiro reconhece o Zé Laia como presidente da república. Sendo assim, não pode conceder a ele asilo diplomático ou territorial. Fica como hóspede.

2. Findos os 10 dias, a situação se complica. É uma decisão unilateral. No final desse prazo o que virá? Digamos: Honduras rompe as relações diplomáticas com o Brasil. Com isso desaparecem as imunidades diplomáticas de nossa embaixada. Passa a ser uma casa comum, igual às outras. O governo brasileiro terá que escolher que país representará nossos interesses em Honduras e retirar seu corpo diplomático de lá. E o Zé Laia?

Aspirador de pó hondurenho

Diogo Mainardi, na Veja Online

O aspirador de pó hondurenho é Manuel Zelaya. Ele representa o eletrodoméstico mais antigo, mais prosaico e mais rumoroso da América Latina: o caudilho bananeiro que dá um golpe para se perpetuar no poder.

Mas Celso Amorim, contando com a cumplicidade e a obtusidade de seus chefes, montou uma farsa internacional e contrabandeou o aspirador de pó hondurenho como se ele fosse um defensor da democracia, derrubado ilegitimamente por uma ditadura militar.

Share

domingo, 27 de setembro de 2009

Domingo de sol no Rio


Embarque numa inesquecível viagem de 360 graus ao redor do Pão de Açúcar sem precisar pagar a passagem do bondinho. Basta clicar aqui.

Enviado pelo grande Cacá Schneider.

Share

sábado, 26 de setembro de 2009

Quase uma década de impunidade


O assassino impune e a sua vítima

Da Veja Online

O jornalista Antonio Pimenta Neves tem sorte de ser brasileiro. Se fosse cidadão dos Estados Unidos, da Itália, da França, da Espanha, de Portugal, da Argentina, da Colômbia ou da Costa Rica, e tivesse cometido em um desses países o crime que cometeu aqui, a probabilidade de estar fora da cadeia seria praticamente nula.

Em agosto de 2000, o jornalista, então diretor do jornal O Estado de S. Paulo, matou a tiros a ex-namorada e também jornalista Sandra Gomide, de 32 anos. O crime completou nove anos no mês passado e Pimenta Neves – réu confesso, julgado e condenado em primeira e segunda instâncias – continua livre como um pássaro. Pior que isso: as chances de que ele nunca vá para a cadeia – ou de que, ao final de tudo, venha a passar não mais do que um ano e onze meses lá – são escandalosamente reais.

Aos 72 anos, o assassino de Sandra Gomide leva uma vida mansa e discreta. Sem responsabilidades nem obrigações (graças a duas aposentadorias, ele tem renda suficiente para não trabalhar e não trabalha), passa os dias lendo e navegando na internet. Fala pelo computador com amigos e as filhas gêmeas, que moram nos Estados Unidos, e só costuma ver TV quando há jogo do seu time, o São Paulo. Uma cadela dachs-hund, que ele batizou de Channel, lhe faz companhia na casa de 930 metros quadrados na Chácara Santo Antônio, bairro nobre de São Paulo.

É a mesma casa em que ele morava antes do crime. Nas poucas ocasiões em que sai de lá, usa um de seus dois carros: um Clio 1998 e um Peugeot 1995. Às vezes arrisca um passeio para tomar café na padaria ou beber chope com amigos (no fim do ano passado, foi visto com um grupo deles aproveitando um fim de tarde de primavera em um restaurante do bairro). Outras vezes, recebe convidados em casa para o almoço – como no dia 11 de junho, no feriado de Corpus Christi (ocasião para a qual se preparou indo na véspera ao supermercado escolher duas garrafas de vinho).

O jornalista goza de boa saúde: dispensou os antidepressivos que passou a usar pouco antes de matar a ex-namorada e toma apenas remédios para controlar a pressão. No ano passado, como tem diploma de advogado, tentou registrar-se na Ordem dos Advogados do Brasil. Foi barrado por "falta de idoneidade moral". Afora esse contratempo, atravessa seus dias com a serenidade de um inocente – mesmo sendo um assassino.

Em julho de 2000, depois de Sandra ter posto fim ao namoro dos dois, Pimenta Neves demitiu-a do jornal que dirigia alegando razões profissionais. A amigos, dizia que ela o havia traído, inclusive profissionalmente. No dia 20 de agosto, colocou um revólver 38 no bolso e dirigiu-se ao Haras Setti, em Ibiúna, interior de São Paulo, onde sabia que encontraria Sandra – como ele, apaixonada por cavalos. Depois de discutirem, Pimenta sacou o revólver e atirou na jovem pelas costas. Quando ela tombou no chão, ele se aproximou e disparou um segundo tiro, desta vez, na cabeça da ex-namorada.

Para ler a matéria na íntegra, entre aqui.

Share

Minc acha importante preservar as pererecas

Visto no Portal G1

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, falou neste sábado (26) sobre a importância de preservar as pererecas. Ele se referiu à interrupção da maior obra pública do PAC no Rio - a construção do Arco Metropolitano - para preservar uma família rara e ameaçada de extinção da espécie.

Técnicos da Secretaria estadual de Obras estudam uma forma de retirar as pererecas para se adaptarem em outro lugar, enquanto dão andamento à construção de 77 quilômetros de pistas que vão ligar Itaboraí ao Porto de Itaguaí, no Grande Rio. O problema é que agora é o período de reprodução da espécie.

Segundo o ministro do Meio Ambiente, é possível separar o brejo das pererecas do Arco Metropolitano:

- A solução técnica é ter placas de aço que vão separar a área do canteiro dos brejos aonde as pererecas copulam alegremente. Dessa maneira, é possível preservar as nossas pererecas que estão ameaçadas de extinção.

Matéria editada alegremente pelo RA, que também é a favor da preservação de todas as pererecas do Brasil.

Share

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Twitadas de sexta

@sensacionalista: Fluminense vai pedir asilo à embaixada brasileira em Honduras.

@BlogdoNoblat: Ciro diz que Serra é mais feio na alma do que no rosto.

@BlogdoNoblat: Ouça versões ao vivo das músicas de Mallu Magalhães. (Pitaco do RA: Tô fora!!)

@BlogdoNoblat: Vídeo - Elis Regina canta "Me Deixas Louca". (Pitaco do RA: Tô dentro!!!)

@BlogdoNoblat: "Estou num país em que nenhum homem assume suas posições. Quando eu assumo, sou tachada de durona e mau humorada". (Dilma Rousseff)

@BlogdoNoblat: Uma boa notícia: Maradona garantiu que não deixará o comando da seleção argentina.

Share

Carta de um pescador atormentado

Zezé Leitão, de Morada Nova de Minas

Depois que me aposentei não aguento ficar em casa. Prefiro passar meu tempo fazendo aquilo que eu mais gosto: pescar. Comprei um pequeno barco de pesca e tentei várias vezes levar minha esposa comigo, mas ela nunca gostou de pescarias.

Um dia, na lojinha de pesca da minha cidade, comecei a conversar com Regininha, a responsável pela loja que, por coincidência, também adora pescar. E em função dessa nossa afinidade, acabou surgindo uma grande amizade.

Como eu disse, minha esposa detesta pescaria. Ela não somente se recusa a pescar comigo, como também reclama que eu gasto muito tempo pescando.

Pois muito bem. Algumas semanas atrás, resolvi levar Regininha para aquela que foi uma das minhas melhores pescarias. Eu não somente pesquei um belíssimo tucunaré, como também, alguns minutos mais tarde, vi Regininha pescar outro igualzinho!

Então, tirei uma foto da Regininha segurando os dois tucunarés que pescamos em Morada Nova de Minas e mostrei para a minha esposa, pensando que, talvez, vendo a foto, ela passasse a se interessar por pescarias.

Pois ela não só não gostou como me proibiu de voltar a pescar. Exigiu também que eu vendesse imediatamente o meu barco. Sinceramente, acho que ela não gosta de me ver alegre, me divertindo...

E aí, eu pergunto, o que devo fazer? Peço para minha esposa esquecer tudo isso e continuo com as minhas pescarias ou vendo o meu barco como ela mandou?

Contando com a ajuda de vocês, deixo aqui o meu muito obrigado pela atenção.

PS: Abaixo, a foto da Regininha com os dois tucunarés.


Enviado pelo grande amigo Mílton, de Campo Belo.

Share

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Música de quarta


Vida longa ao sessentão Bruce Springsteen

Garota, esta cidade arranca os ossos do corpo
É uma armadilha mortal, é um ritmo suicida
Nós temos que cair fora enquanto somos jovens
Porque vagabundos como nós, baby, nascemos para fugir

Parabéns, Boss!
Pelos 60 anos hoje e pelo rock mais bonito de todos os tempos.



Foto AP

Share

Imagem de quarta


Primeira manhã de primavera

Share

Minc responde a Puccinelli


'Ele é um homossexual enrustido'

Sobre as declarações do governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, que o chamou ontem de "veado fumador de maconha", o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, respondeu hoje:

"Ele deve fazer uma análise mais profunda da declaração dele sobre o estupro em praça pública e examinar e tratar com mais carinho o homossexualismo que existe dentro dele próprio e talvez aceitar isso com mais razoabilidade. O Freud (Sigmund Freud, psicanalista) explica que muitas pessoas que têm o homossexualismo enrustido tentam matar o homossexual que há dentro dele próprio. Eu sou um defensor conhecido dos direitos dos homossexuais contra todos os preconceitos. Agora acho que o povo e os tribunais têm de julgar se ele está apto para exercer o governo do Estado.

É um ataque gratuito. Na verdade ele professou um estupro ao Pantanal e um estupro a ele próprio. São os eleitores e naturalmente os tribunais que vão julgar se uma pessoa com esse nível de desequilíbrio está apta para exercer o governo do Estado. Esse nível para onde ele está levando o debate, mais para as páginas policiais ou para o divã de psicanalistas, deve ser julgado pelos eleitores ou pelos promotores que acharem que ele está incapacitado para exercer o governo do Estado.

O governador é uma pessoa desequilibrada. Aliás, tem de um lado o desequilíbrio ambiental que ele provocaria se a gente deixasse destruir o Pantanal com cana-de-açúcar, e um desequilíbrio patológico também. Estou acostumado a embate político com ruralistas, com governadores, mas em cima de ideias. Uma agressão como essa é difícil até imaginar como uma pessoa dessa pretende exercer o governo do Estado."

Publicado no Terra Brasil.

Share

Exposição da Alerj em Resende

A Exposição Itinerante da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) estará, a partir de amanhã (quinta-feira, 24), em Resende. A mostra será inaugurada junto com a 42º Exapicor (Exposição Agropecuária Industrial e Comercial de Resende), que faz parte dos festejos pelos 208 anos da cidade e acontece no Parque de Exposições Francisco Fortes Filho, na Estrada Resende-Riachuelo, no bairro Morada da Colina.

A exposição, que poderá ser visitada das 10h às 21h, ficará na cidade até a próxima terça-feira (29). Para o deputado Jorge Picciani, presidente da Alerj, "essa é uma forma de prestar contas do trabalho que realizamos e também de mostrar à população como funciona o Poder Legislativo".

Quem visitar a exposição itinerante da Alerj, além de conhecer os principais serviços prestados pela Casa (comissões permanentes, unidades móveis e disques), poderá se informar sobre a história do Palácio Tiradentes, inaugurado em 1926 para ser sede da Câmara dos Deputados.

Enviado pela Alerj e editado pelo RA.

Share

terça-feira, 22 de setembro de 2009

'Carlos Minc é um veado fumador de maconha'


Puccinelli disse também que estupraria Minc

Do UOL Notícias

O governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), usou palavrões nesta terça-feira (22) para atacar o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, por defender a descriminalização da maconha e promover ações ambientais no seu Estado. Em reunião com empresários, o peemedebista afirmou que Minc é "um veado fumador de maconha".

Mais tarde, o site do governo do Mato Grosso do Sul divulgou nota dizendo que as declarações de Puccinelli foram "sem caráter de ofensa pessoal" e que ele trataria do assunto ainda hoje em entrevista coletiva.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Minc afirmou que Puccinelli "é um truculento ambiental que quer destruir o Pantanal com a plantação de cana-de-açúcar. Essa declaração revela o seu caráter".

As principais críticas de Puccinelli ao ministro se referem ao Zoneamento Agroecológico da Cana, que proíbe o uso da Bacia do Alto Paraguai para a formação de usinas e plantações. O governador afirmou na mesma reunião que não pretende utilizar o entorno do Pantanal para indústria, e sim para lavouras de cana, de forma que áreas erodidas sejam recuperadas.

Em seguida, Puccinelli, em tom de brincadeira, perguntou se Minc participaria da Meia-Maratona Internacional do Pantanal, marcada para 11 de outubro. "Eu o alcançaria e o estupraria em praça pública", afirmou. A reportagem do UOL Notícias está tentando ouvir os envolvidos e obter o áudio do evento.

Brincadeira

A Época Online publicou uma nota do Governo do Mato Grosso do Sul afirmando que as referências do governador a Minc foram em tom de brincadeira.

"Ao ser questionado por empresários do setor da indústria e comércio sobre a questão da proibição do plantio de cana-de-açúcar na região da Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai, hoje (22) durante reunião em seu gabinete, o governador André Puccinelli fez referências, em tom de brincadeira, a outras críticas recebidas pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc", diz a nota.

Share

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Música de segunda


Antes eu era bem mais velho do que sou agora

Share

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Imagens de sexta






Fotos feitas entre 17:09 e 18:00

Share

Música de sexta


Mundo louco

Share

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Prefeitura mostrando serviço...


... às 11:30 em uma das avenidas mais movimentadas de Resende

Share

Os Mano Azul no Olavo Bilac


Enviado por Zé Leon.

Share

Da eterna série 'Tragédia carioca'

Share

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O Gênesis segundo Crumb






Da Folha Online

Crumb descansou no quarto ano. Antes, criou Deus, o paraíso, Adão e Eva. E viu que Eva era boa. Ou melhor, avantajada. Após extensa pesquisa, o cartunista americano Robert Crumb, de 66 anos, lança em outubro aquela que é considerada a principal publicação em HQ no ano. "Gênesis", versão ilustrada do primeiro livro da Bíblia, respeitou "palavra por palavra" do texto original.

O autor de "Fritz the Cat" e "Mr. Natural", símbolo da contracultura nos anos 60, conversou com a Folha por telefone na última sexta-feira, com a voz tranquila e a ironia que lhe são características. Falou sobre o novo trabalho e sobre não saber (quase) nada de francês após 18 anos vivendo na França - mora no sul do país com a mulher, a cartunista Aline Kominsky-Crumb -, deu opiniões como sempre ácidas sobre sua terra natal, defendeu teorias conspiratórias e comentou o uso de sua obra. Veja trechos a seguir.

Folha - Foi difícil definir como desenharia Deus?
Robert Crumb - Bem, tive esse sonho em que vi Deus, em 2000. Foi intenso e vívido, teve efeito profundo em mim. Mas não pude olhar por muito tempo. A forma como o desenhei lembra só vagamente como era no sonho. Também me baseei em imagens de Deus na cultura ocidental, o patriarca de barba branca e expressão severa.


Folha - O sr. iniciou o projeto em 2005. Por que demorou tanto?
Crumb - Foi o maior projeto que já fiz. Pesquisei muito, fui detalhista. Cada página me tomou dois ou três dias, e eram mais de 200 páginas. Mas fiz outros projetos nesses quatro anos, houve interrupções... Como as colaborações com a Aline para a revista "New Yorker".

Folha - O quanto conhecia do texto da Bíblia antes disso?
Crumb - Não sou estudioso da Bíblia, ainda não conheço bem o resto dela, mas de certo me tornei estudioso do Gênesis. Li de perto para ter certeza de que tinha feito os desenhos direito. Vi meu trabalho como o de um ilustrador, não o de alguém que estaria tirando sarro do texto. Queria, como dizer, revelar o texto tanto quanto possível.

Folha - Por que decidiu fazer isso?
Crumb - Estava com uma ideia de ilustrar o paraíso, e um agente sugeriu que, se eu fizesse todo o Gênesis, ele arrumaria uma editora que me daria muito dinheiro para isso. Falei: "Veja o que consegue". Depois de alguns dias, ele voltou e disse: "Consegui uma editora que vai pagar muita grana". E respondi: "OK, eu faço isso".

Folha - Como avalia a história?
Crumb - É uma história poderosa. A coisa toda, antes de ser escrita, foi mantida pela voz do homem. Algumas das histórias, com isso, perderam todo o sentido. Como a de Abraão, sendo um tipo de cafetão da própria mulher para o faraó do Egito. Isso é estranho. Minha conclusão é que eu não usaria o Gênesis como um guia moral (risos).

Folha - E o personagem Deus...
Crumb - É duro, severo, patriarcal e tribal. Cuida de sua tribo, os hebreus, que pressionam os outros. Diz: "Essa terra será sua, podem pegá-la". E eles a tiram das pessoas que já estavam lá, os cananeus. Isso é uma coisa tribal. Naqueles tempos, cada tribo tinha seu "deus mais alto". Quando conquista outra tribo, impõe ao outro povo esse "deus mais alto". Era comum.

Folha - Já faz quase 20 anos que o sr. mudou para a França, certo?
Crumb - Faz 18 anos.

Folha - Fala algo em francês?
Crumb - Não falo nada em francês. Minha mulher fala. Não vou a cafés, fico em casa. Quero dizer, posso ir ao mercado livre e perguntar se há discos antigos: "Est-ce que vous avez des disques 78 tours?". Isso eu posso fazer. Mas não conversar.

Folha - Como é seu dia a dia? Imagino que não leia jornais...
Crumb - Não. Ouço discos antigos e leio muitos livros. Virei um leitor voraz. Leio livros de jornalismo investigativo, que expõem meandros do sistema financeiro, da corrupção...

Folha - Faz oito anos que os EUA sofreram os ataques de 11 de Setembro. Acredita que o país mudou?
Crumb - É complicado. Foi a primeira vez que houve um ataque daquelas proporções nos EUA, supostamente de fora. Pessoalmente, acho que o governo americano estava envolvido. Muita coisa não foi contada. Aquilo não poderia ser feito sem a ajuda de alguém de dentro. Com todos os livros que li, sabendo o que sei sobre o mundo financeiro, militar... Não duvido de que tenham feito isso, ao custo de milhares de vidas.

Folha - Na internet há muita gente que pensa assim... E está mais otimista agora, com o Obama?
Crumb - Espero o melhor, que ele consiga realizar algo. Eu o acho um cara decente, que quer fazer a coisa certa. Mas, sabe, há políticos, organizações, que estão fazendo de tudo para matar o cara. Não literalmente, mas matar o que ele tenta fazer, para fazê-lo parar. Mas ele é um cara limpo, eles não conseguem achar nenhum escândalo sexual, financeiro, nada.

Folha - Após "Fritz the Cat", ainda tentam fazer filmes de suas HQs?
Crumb - Por anos, de tempos em tempos, alguém pedia para tornar meus cartuns em filmes. Cheguei até a autorizar, mas sempre deu em nada. Agora querem usar minhas coisas na internet, em iPhones, porcarias assim. Há uma pressão para pôr minhas coisas nesses negócios eletrônicos. Tenho me sentido obrigado a lidar com isso...

Folha - Significa que veremos algo do sr. em celulares em breve?
Crumb - Estou negociando. Pode ser que fale: "Danem-se, não quero". É tudo experimental. Ver HQ no celular? Sei lá...

Revista publica prévia de 'Gênesis'


Visto no Omelete

A Piauí publicou uma prévia em português de Gênesis, adaptação do primeiro livro bíblico pelo cultuado quadrinista underground Robert Crumb.

Lançado há pouco nos EUA, o álbum sairá no Brasil pela Conrad Editora. A data de lançamento ainda não foi divulgada.

A Piauí de outubro (edição 36) já está nas bancas e custa R$ 9,50.

Textos editados pelo RA.

Share

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Produtores de Woody Allen vêm ao Brasil


Do Portal G1

Os produtores Stephen Tenenbaum e Letty Aronson, membros da equipe de Woody Allen, chegam ao Brasil dia 3 de outubro para estudar a possibilidade de o cineasta novaiorquino rodar um longa-metragem no país. Tenenbaum e Aronson vão passar dois dias em São Paulo e cinco no Rio visitando possíveis locações e avaliando as condições de trabalho disponíveis.

As informações são do publicitário Claudio Loureiro, da agência Heads, que negocia a vinda do diretor ao Brasil para realizar uma produção nos moldes de "Vicky Cristina Barcelona", rodada na Espanha a partir do interesse daquele país de servir de cenário ao diretor.

De acordo com Loureiro, as negociações do projeto estão avançadas, mas ainda não há nada certo. "Não sabemos se o filme, de fato, acontecerá, mas estamos trabalhando muito para isso", disse o publicitário em entrevista ao G1 nesta terça-feira (15).

Claudio Loureiro viajou a Nova York em maio para conversar pessoalmente sobre o projeto com Woody Allen e foi a Londres em julho para acompanhar de perto as filmagens do novo longa do diretor. Ele afirma que tanto o cineasta quanto sua equipe demonstraram interesse em vir filmar no Brasil, mas tudo vai depender da avaliação que os produtores vão fazer durante a visita do próximo mês.

Se a estrutura brasileira para as filmagens for aprovada pelos membros da equipe de Allen, o filme deve começar a ser rodado em 2011. O projeto ainda não tem título nem roteiro definido.

Enquanto isso, a RioFilme já estuda formas de financiamento do longa-metragem e incluiu a produção em sua lista de projetos previstos até 2012. As produtoras cariocas Conspiração e o2 estariam disputando a coprodução do filme.

Matéria editada pelo RA.

Share

Angélica como você nunca viu


Para ver todas as fotos publicadas na última edição da revista Joyce Pascowitch, entre aqui.

Share

Herói sapatista é libertado no Iraque


Foto da Reuters publicada no UOL Notícias

O jornalista e herói iraquiano Muntazer al Zaidi, que teve a coragem suprema de atirar os seus sapatos número 42 na direção do assassino, terrorista, criminoso de guerra e débil mental George W. Bush, em dezembro de 2008, foi libertado hoje depois de cumprir nove meses de prisão em seu próprio país.

Al Zaidi, que trabalhava na TV Baghdadiya, cobria uma coletiva de imprensa concedida pelo sanguinário ex-presidente dos EUA quando, indignado com o cinismo descarado de Bush, cometeu o ato que entrou para a história e o elevou à categoria de herói. Enquanto tentava acertar a cabeça do facínora americano, Muntazer al Zaidi proferiu as já célebres palavras:

"Este é o beijo de despedida, seu cachorro! Isto é pelas viúvas, órfãos e aqueles que foram mortos no Iraque."

Infelizmente, o cachorro Bush conseguiu se desviar das sapatadas, assim como escapou incólume das acusações de assassinar milhares de inocentes iraquianos sem qualquer motivo. Já o sapatista Al Zaidi, além de passar nove meses na prisão, sofreu torturas que deixarão sequelas para o resto da sua vida de herói.

Share

Imagens de segunda na terça






Chuva e vendaval às 13:30 e um belo pôr-do-sol às 17:50

Share

domingo, 13 de setembro de 2009

Barrichello vence mais uma


Foto Reuters publicada no UOL Esporte

Caramba, Rubinho, será que vamos perder mesmo nosso principal personagem de piada esportiva?

Share

Música de domingo


Vigiando minha porta dos fundos

Despache os problemas para Illinois
Tranque a porta da frente (oh, boy!)
Olhe todas aquelas criaturas felizes
Dançando no gramado
Me aborreça amanhã, porque
Hoje não compro nenhuma tristeza

Share

sábado, 12 de setembro de 2009

Imagens de sexta no sábado
















Rei dos Salgadinhos ontem entre 18:00 e 18:15

Share

Briatore joga mais lama na pista


Da Folha Online

Um dia após o depoimento de Nelsinho Piquet à FIA se tornar público, Flavio Briatore, seu ex-chefe na Renault e ex-manager, contra-atacou.

Além de entrar com um processo na Justiça francesa por calúnia e chantagem, o dirigente italiano se pronunciou pela primeira vez sobre o caso em que seu time é acusado de ter pedido ao brasileiro para bater o carro de propósito durante o GP de Cingapura de 2008 e favorecer seu companheiro, o espanhol Fernando Alonso.

As acusações de Briatore, porém, não ficaram somente na esfera esportiva. O dirigente fez também insinuações sobre a vida pessoal de Nelsinho.

"A única coisa que tenho contra ele é o fato de ele não ter mostrado resultados. Eu sempre tentei ajudar o Nelsinho, mas a verdade é que ele é um filhinho de papai, um menino mimado, que sempre teve seu próprio time, sempre teve o pai lhe dando os melhores carros e quando ele finalmente chegou numa competição de verdade (a F-1), perdeu a cabeça."

Ao ser questionado se esperava que seu ex-comandado fosse capaz de fazer uma acusação tão grave como a de planejar um acidente para que o outro piloto do time pudesse ser beneficiado, Briatore disparou.

"Nelsinho me acusa de ter rompido seu relacionamento com um amigo. Como não gosto de ser acusado de nada, digo que fiz isso porque o pai dele me pediu", falou. "Ele vivia com este senhor, não se sabe que tipo de relação eles tinham, mas o pai estava muito preocupado com este relacionamento dele com esse cara de 50 anos e pediu que eu interviesse", completou Briatore para seguir.

"Proibi que este senhor viesse às corridas e mudei o Nelsinho de Oxford para Londres. Coloquei ele no prédio em que eu moro para ter ele sob controle. E agora Nelsinho me acusa de ter levado seus amigos."

O homem a quem o italiano se refere é Marc Cavezzale, antigo amigo da família Piquet e um dos patrocinadores de Nelsinho quando ele estava na F-3, que ofereceu a casa em Oxford para ajudar o piloto brasileiro.

Não contente em atacar apenas o filho, Briatore também fez críticas a Nelson Piquet.

"Conheço muito melhor o pai do que o filho e sabemos que ele gosta de denegrir as pessoas. Ele sempre falou mal do (Ayrton) Senna, da mulher de Mansell e por aí vai", disparou.

Nos EUA para assistir a uma corrida da Nascar, Nelsinho disse que não poderia comentar as declarações do ex-patrão.

Matéria editada pelo RA.

Share

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Brasil sai da recessão

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 1,9% no segundo trimestre de 2009, depois de seguidos períodos de números negativos, informou hoje o IBGE.

No último trimestre de 2008, o PIB do Brasil havia registrado uma queda de 3,6%, tendência que continuou no primeiro trimestre de 2009, com uma redução de 1%. Esses números configuravam um quadro de recessão técnica, provocada pela crise econômica mundial.

Publicado no El Clarín e traduzido pelo RA.

Share

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Exército de fiscais invade 'El Clarín'


Foto El Clarín

Matéria da AFP publicada no Google News

Ao menos 200 inspetores participaram nesta quinta-feira de uma grande operação fiscal do governo da presidente Cristina Kirchner contra as empresas do grupo Clarín, denunciou Ricardo Kirschbaum, editor-geral do maior conglomerado multimídia da Argentina.

"A operação teve o claro objetivo de nos intimidar e nos ameaçar, de restringir nossa liberdade de expressão", disse Kirschbaum.

Segundo o editor, o responsável pela Administração Federal de Rendas Públicas (AFIP), Ricardo Etchegaray, lhe telefonou para dizer que havia ordenado a operação e que abriu um processo contra os supostos responsáveis por fraudes.

Os fiscais vistoriaram o prédio onde estão os escritórios e a redação do El Clarín, no bairro de Constitución, em Buenos Aires, e dez residências de diretores do jornal. A operação durou mais de três horas, revelou o Gerente de Comunicações Externas do Grupo, Martín Etchevers.

O grupo Clarín está no centro de uma disputa com o governo Kirchner envolvendo o projeto de lei de Meios Audiovisuais, que é analisado pelo Congresso.

Se a nova lei for aprovada, o Clarín terá que abrir mão de seus canais de TV abertos ou a cabo.

Organizações de imprensa argentinas e internacionais criticaram duramente hoje o projeto promovido por Kirchner e advertiram que a medida ameaça a liberdade de expressão e de segurança jurídica.

"Consideramos que os princípios constitucionais e internacionais de reconhecimento e garantia da liberdade de expressão, e a proibição da censura prévia, são ameaçados a partir de disposições que concedem aos governantes amplos critérios de discricionaridade".

A enérgica declaração surgiu do "Encontro pela Liberdade de Expressão", realizado nesta quinta-feira em Buenos Aires com diretores de várias entidades, entre elas a Associação Internacional de Radiodifusão (AIR), a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) e a Associação de Entidades Jornalísticas Argentinas (Adepa).

Pálpito del RA: Segundo o Clarín, o que provocou a reação desmedida do governo Kirchner contra o jornal foi uma matéria, publicada hoje, denunciando o pagamento de 10 milhões de pesos de subsídio - liberado pelo Escritório Nacional de Controle Comercial Agropecuário (ONCCA), controlado por Ricardo Echegaray - a uma empresa de engorda de gado sem habilitação para funcionar. Para ler a matéria na íntegra (em espanhol), entre aqui.

Share

Piquet enlameia as pistas da Fórmula 1




Gostaria de trazer os seguintes fatos ao conhecimento da FIA:

1. Durante o GP de Cingapura de F-1, realizado em 28 de setembro de 2008 e válido pelo Campeonato Mundial de F-1 de 2008, fui convidado pelo Sr. Flavio Briatore, que é tanto meu 'manager' quanto diretor da equipe ING Renault F-1 Team, e pelo Sr. Pat Symonds, diretor técnico da mesma equipe, a bater deliberadamente meu carro, a fim de influenciar positivamente o desempenho do ING Renault F-1 Team no evento em questão. Concordei com esta proposta e conduzi meu carro para acertar o muro, provocando um acidente entre as voltas 13 e 14 da corrida.

2. A proposta de provocar deliberadamente um acidente me foi feita pouco antes da corrida, quando fui convocado pelo Sr. Briatore e pelo Sr. Symonds no escritório do Sr. Briatore. O Sr. Symonds, na presença do Sr. Briatore, me perguntou se eu estaria disposto a sacrificar minha corrida pela equipe por um carro de segurança. Todo piloto de F-1 sabe que o safety car entra na pista quando há um acidente que a bloqueia ou joga detritos, ou quando há um carro parado onde é difícil resgatá-lo, como foi o caso, aqui.

3. No momento desta conversa, eu estava em um estado mental e emocional muito frágil. Este estado de espírito foi provocado pelo estresse intenso devido ao fato de que o Sr. Briatore se recusou a informar-me da existência ou não da renovação de meu contrato de piloto para o próximo ano (2009), como habitualmente ocorre no meio da temporada (por volta de julho ou agosto). (...) Quando me pediram para bater o carro e provocar a entrada do safety car a fim de ajudar a equipe, eu aceitei porque esperava que pudesse melhorar minha posição dentro da equipe neste momento crítico da temporada.

4. Após a reunião com o Sr. Briatore e o Sr. Symonds, o Sr. Symonds me puxou para um canto tranquilo e, usando um mapa, apontou-me para a curva exata da pista onde eu deveria bater. Esta curva foi escolhida porque aquele local específico da pista não possui guindastes que permitiriam que um carro danificado pudesse ser rapidamente removido da pista, nem possui entradas laterais, o que permitiria que um fiscal de pista pudesse empurrar rapidamente o carro para fora dela. Assim, considerou-se que um acidente nesta posição específica seria quase certo de provocar uma obstrução da pista e que, portanto, seria necessária a implantação do safety car a fim de permitir que a pista fosse limpa e para assegurar a continuidade da corrida.

5. O Sr. Symonds também me disse em que volta, exatamente, eu deveria provocar o incidente, de modo a poder disponibilizar ao meu companheiro de equipe, o Sr. Fernando Alonso, uma boa estratégia, já que ele faria seu reabastecimento pouco antes da entrada do safety car, durante a 12ª volta. A chave para esta estratégia reside no fato de que o conhecimento de que o carro de segurança entraria na pista entre as voltas 13 e 14 permitiu que a equipe fizesse no carro do Sr. Alonso uma estratégia agressiva de combustível, suficiente para chegar a 12 voltas, mas não muito mais. Isso permitiria que o Sr. Alonso ultrapassasse o máximo de carros possível, sabendo que os carros teriam dificuldade em recuperar o tempo perdido depois do pit stop devido à implantação posterior do safety car. Esta estratégia foi bem sucedida e o Sr. Alonso venceu o GP de Cingapura de F-1 de 2008.

6. Eu, intencionalmente, causei o acidente, deixando o carro sair lateralmente pouco antes da curva. A fim de me certificar que eu provocaria o acidente durante a volta certa, perguntei para a minha equipe por diversas vezes, através do rádio, para confirmar o número da volta, algo que eu não faria normalmente. Não fiquei ferido durante o acidente, nem ninguém.

Declaração de Verdade

Eu acredito e juro que os fatos citados nesta declaração são verdadeiros.

A afirmação foi feita na sede da FIA em Paris, em 30 de julho de 2009, na presença do Sr. Alan Donnelly (Presidente dos comissários da FIA), Martin Smith e Sr. Jacob Marsh (Investigadores da empresa Quest, mantidos pela FIA para ajudar na investigação). As notas foram tomadas pela Sra. Dondnique Costesec (Sidley Austin LLP).

Assinado:

Nelson Piquet Jr.

Publicado no Tazio e editado pelo RA.

Share

Flagrante virtual

Aha, te peguei lendo o RA!

Share

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Venda de caças para o Brasil é 'bilhete premiado'


O Rafale equipado com armamentos bélicos

Da BBC Brasil

O acordo entre França e Brasil foi destaque no jornal francês Libération, segundo o qual, trata-se de um "bilhete premiado" para a indústria bélica francesa, que atualmente atravessa uma crise. O diário informa que os aviões Rafale, que o Brasil deve importar, serão vendidos "nus", o que deve obrigar o país a comprar também da França os armamentos que vão equipar as aeronaves.

O Libération diz ainda que, sem o mercado brasileiro, a Dessault Aviation (fabricante do Rafale) poderia fechar. "Desde sua chegada ao poder, Nicolas Sarkozy se dedica a dar a Serge Dessault, dono da fábrica de aviões e também do jornal Le Figaro, um lugar central no jogo industrial francês", comenta o diário de oposição.

Atualização do RA: O Libération diz em matéria publicada hoje que o acordo firmado no Brasil por Nicolas Sarkozi vai render à França - além de aproximadamente 5 milhões de euros - 6.000 empregos diretos.

Share

terça-feira, 8 de setembro de 2009

O lixo de Resende...




... e o exemplo de Piraí

A segunda edição do RJTV de hoje destacou que a Prefeitura de Piraí vai punir os cidadãos que colocarem lixo nas vias públicas fora do horário de recolhimento. A primeira autuação terá caráter apenas educativo, obrigando o infrator a assistir uma palestra sobre educação ambiental. Em caso de reincidência, serão emitidas multas que variam de R$ 450,00 a R$ 9.000,00.

A logística da limpeza é simples: os caminhões de lixo obedecem a um horário rígido, que é divulgado para a população. Se por algum motivo não for possível colocar o lixo - devidamente acondicionado - para fora de casa na hora da coleta, o cidadão deverá mantê-lo guardado até o dia seguinte. Em locais de maior produção de resíduos (lojas, indústrias, etc) os caminhões passam duas vezes ao dia. Nas áreas estritamente residenciais, a coleta é feita uma única vez.

E como descobrir os infratores? Mais uma vez, muito simples, como ensina a Secretária de Turismo e Meio Ambiente de Piraí, Sheila dos Santos Valle: vasculhando o lixo, que sempre contém pistas seguras da sua procedência (envelopes rasgados com nome e endereço, papéis timbrados, caixas com logomarcas, etc).

Agora, a tradicional pergunta que não quer calar: alguém em Resende já foi multado por deixar lixo na rua durante horas ou, mesmo, de um dia para outro, atraindo a atenção de catadores e de cachorros que deixam tudo espalhado pelo chão? Por outro lado, a prefeitura já divulgou os horários de coleta? Em caso afirmativo, esses horários são cumpridos todos os dias?

Acho que está na hora das nossas autoridades se inspirarem nas medidas que deram resultado em outras cidades e - por que não? - copiá-las para o bem estar de todos.

A contribuição do RA é não deixar o assunto passar despercebido em meio às notícias televisivas. A obrigação da prefeitura é tomar as devidas providências para nos livrar da visão diária de cenas como as registradas nas fotos acima.

Share

Aprovada gratificação dos professores estaduais

A Assembleia Legislativa do Rio acaba de aprovar, nesta terça-feira (08/09), com quatro emendas e na forma de um substitutivo, a incorporação do Nova Escola – programa de gratificação dos professores implantado na gestão do ex-governador Anthony Garotinho – ao vencimento-base dos servidores da Educação.

O substitutivo ao projeto de lei 2.474/09 determina que, a partir do próximo mês de outubro, a gratificação seja gradativamente absorvida pelos vencimentos dos professores das secretarias de Educação e de Cultura do estado. De acordo com o texto, "o vencimento-base dos cargos a que se refere a Lei 1.614/90 (Plano de Cargos e Salários dos Professores) guardará o interstício de 12% entre referências".

"Quero ressaltar o caráter democrático do governador Sérgio Cabral, pois não é a primeira vez que ele tem a coragem de recuar. Também quero aproveitar para parabenizar o pessoal da área técnica do Poder Executivo", declarou o presidente da Alerj, deputado Jorge Picciani (PMDB), referindo-se à proposta original do Governo que previa um interstício de 7,5%.

Com isso, 53.721 professores, 15.949 profissionais de apoio e mais 95 mil aposentados, pensionistas e profissionais recém-concursados serão beneficiados pelo reajuste, que, com os 12%, representará um gasto de mais R$ 1,5 bilhão a ser pago em seis anos, totalizando R$ 4,9 bilhões.

Enviado pela Secretaria de Comunicação da ALERJ.

Share

E por falar na Argentina...


Japoneses vencem o Campeonato Mundial de Dança de Tango em Buenos Aires

Foto AFP publicada no LA Times.

Share

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Da nova série 'Diálogos presidenciais'


Ça va? Cuma?

Foto ABr publicada no UOL Notícias.

Share

domingo, 6 de setembro de 2009

Brasil e Argentina


Aqui e lá

Visto no jornal Olé.

Share

Não importa o campo...


'O Brasil bateu duramente e deixou a Argentina muito ferida'

Do Terra Esportes

Acostumado a usar humor e ironia para tratar da Seleção Brasileira, o jornal esportivo argentino Olé mudou a tradicional postura para comentar a derrota do time de Maradona por 3 a 1 diante do Brasil, ontem em Rosário.

Com a manchete de "Não importa em que campo jogamos" - em referência à insistência do técnico argentino de jogar em Rosário -, o jornal guardou as ironias para a seleção comandada por Maradona e abusou dos elogios ao time de Dunga, primeiro a garantir vaga na Copa do Mundo nas Eliminatórias da América do Sul.

"Argentina se desmanchou de trás para frente, Brasil foi implacável e nos deu uma lição de hierarquia e jogo coletivo. Eles no Mundial e nós no forno", diz parte do texto sobre o jogo, que ainda fala na maior de todos os aprendizados dos argentinos em confrontos contra os brasileiros.

"Muitas vezes ao longo da história deste duelo de mil batalhas, Brasil nos brindou com lições apoiadas em seu interminável talento e fantasia futebolística. Nunca antes, como nesta noite, o escrete brasileiro deu à seleção argentina uma lição semelhante de hierarquia, ofício, capacidade técnica e jogo coletivo".

Sobrou até para Maradona, maior ídolo da história do futebol argentino. "Rosário não resolveu o grande problema: a seleção não é uma equipe e Diego não encontra uma saída", afirma o jornal, que ainda elegeu Kaká o chefe da vitória brasileira e destacou o oportunismo de Luís Fabiano, autor de dois gols.

Com 22 pontos, a Argentina está na quarta colocação das Eliminatórias, limite para a classificação à Copa, e tem jogos considerados difíceis contra Paraguai e Uruguai nas últimas três rodadas.

"Difícil estar nos sapatos de Maradona, obrigado a se reerguer em um terreno inundado, enquanto seu rival de toda a vida sai de Rosário com uma classificação gigante", complementa o texto.

Já o jornal La Nación afirmou que a Argentina "sucumbiu perante o instinto assassino do Brasil", que mostrou eficácia e se classificou ao Mundial de 2010 depois de "aproveitar os descuidos" da defesa argentina.

"O Brasil bateu duramente e deixou a Argentina muito ferida", afirmou o jornal El Clarín, acrescentando que a vitória brasileira foi tão dolorosa quanto a sofrida pela Argentina há exatamente 16 anos, ao ser goleada pela Colômbia por 5 a 0.

Matéria editada pelo RA.

Share

sábado, 5 de setembro de 2009

Imagens de sexta no sábado






Fotos feitas entre 16:34 e 17:47

Share