Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

domingo, 31 de julho de 2005

Oi tio!

A atriz Cléo Pires, filha da também atriz Glória Pires e do cantor-ator Fábio Jr., pisoteou os corações juvenis da platéia do Altas Horas nessa madrugada. Abusando de caras e bocas - tal qual sua personagem Lurdinha na novela das oito -, a bela quase fez o eterno adolescente Serginho Groissman despencar de sua cadeira giratória, enquanto tentava arrancar respostas mais reveladoras da esquiva e sorridente entrevistada.

Alguém quis saber como o popstar Lenny Kravitz havia se comportado na fazenda da mãe e do padrasto (o cantor Orlando Morais) em Goiânia, onde foi hóspede durante a sua recente visita ao Brasil. Com ar blasé, Cléo disse que nem prestou atenção nele e só se lembra de Kravitz ter gostado de um churrasco preparado por Orlando.

Antes dela, o auditório (e também Serginho) já tinha se derretido todo diante da irresistível Grazi BBB que, ao contrário da intérprete de Lurdinha, falou pelos cotovelos durante a entrevista. Muito à vontade, respondeu sem pestanejar a todas as perguntas (muitas delas sobre o ensaio fotográfico que ela acabou de fazer para a Playboy) e saiu do auditório deixando uma legião de apaixonados.

Quem ficou acordado até Altas Horas, de ontem para hoje, com certeza não se arrependeu.

Fotos de divulgação da TV Globo publicadas no site Estrelando

Share


A atriz Cléo Pires ilumina a madrugada no Altas Horas

Share


Na entrevista, Cléo riu muito e falou pouco

Share


Em uma cena da novela América

Share


Ar de Lolita, sorriso de Monalisa

Share


A semelhança com a mãe Glória Pires

Share

O mensalão aos olhos do poeta

Do cronista da Folha, Ferreira Gullar:

Qual o desfecho?

À medida que os acontecimentos se precipitam, a gente se pergunta onde vai parar tudo isso, qual será o desfecho da crise. Nas rodas de discussão, as opiniões são divergentes, embora quase todos concordem em que o governo Lula entrou num caminho sem volta. Até o momento em que escrevo esta crônica, eram motivo de discussão os últimos pronunciamentos do presidente da República, todos dirigidos a um público de trabalhadores e sindicalistas. Nesses pronunciamentos, Lula buscava apresentar-se como vítima de um movimento golpista da "elite", que não suportaria termos no Brasil um presidente oriundo da classe operária. Noutra ocasião, afirmou que ainda está para nascer alguém neste país capaz de lhe dar lições de ética.

Duas coisas chamaram a atenção nesses pronunciamentos: o fato de serem feitos para sindicalistas e a natureza mesma do que foi dito. Apresentar-se como vítima da "elite" deixa claro o propósito de ocultar as verdadeiras razões da crise (corrupção no PT e no governo) para recuperar e manter a simpatia dos "explorados" e dos "injustiçados", dos que hipoteticamente constituem sua base de massa. Proclamar-se acima de qualquer suspeita, sem que até aqui ninguém o tenha apontado como corrupto, causa espécie.

Espero não exagerar se vejo em tais atitudes de Lula os indícios de alguém que se sente encurralado ou que já antevê acusações efetivas capazes de comprometer sua autoridade de chefe de Estado. Ao que tudo indica, essas acusações virão. A cada dia, torna-se mais e mais insustentável a tese de que o presidente Lula de nada sabia e que, portanto, nenhuma responsabilidade tem no que fizeram os dirigentes de seu partido e altos funcionários de seu governo.

Com freqüência, Lula tem feito questão de afirmar que o PT é uma coisa e o governo é outra, inteiramente desvinculados um do outro. Difícil acreditar nisso quando foi ele quem de fato determinou o afastamento dos membros da direção do PT e fez uma intervenção no partido, pondo, no lugar daqueles, homens de sua estrita confiança que eram ministros em seu governo. A ligação entre Lula e o PT é indisfarçável e, portanto, a progressiva revelação dos procedimentos criminosos que envolvem os altos escalões do partido terminará por comprometer a autoridade do presidente da República.

Torna-se claro, a cada dia, que os objetivos petistas iam além da compra de parlamentares para assegurar a maioria governamental no Congresso. Ao que tudo indica, criara-se um sistema de poder, apoiado na ocupação de cargos de decisão em entidades públicas de grande peso na vida econômica e social do país.

Uma espécie de poder econômico sindical-partidário estava sendo montado com o propósito de manter o controle político pela troca de favores e o tráfico de influências junto a empresas privadas, bem como a compra de parlamentares corruptos. Com isso, assegurava-se ao governo (e ao partido) a hegemonia necessária para dar à sua administração o rumo que quisesse, neutralizando a ação da minoria, que ficaria clamando no vazio.

Em face de semelhante esquema, a res publica estaria relegada a plano secundário, e o próprio regime democrático, aviltado e comprometido em sua essência. É essa tentativa de assalto às instituições republicanas que desmorona agora diante de nossos olhos. Espero não estar exagerando nem vendo chifres em cabeça de cavalo. Mas talvez valha a pena buscar as causas profundas dessa hipotética intenção da ala dominante do PT.

O socialismo - o sonho da revolução que abriria caminho para a sociedade fraterna e igualitária - foi a utopia que incendiou a imaginação de homens generosos desde a segunda metade do século 19 até o final do século 20. E não se restringiu a sonho, mas materializou-se na construção de um Estado e fez avançar as conquistas sociais dos trabalhadores de uma grande parte do mundo. Não resta dúvida de que a sociedade humana não foi mais a mesma antes e depois da revolução de 1917. A derrocada do sistema comunista levou os socialistas responsáveis e sensatos a buscar alternativas viáveis para a consecução de seus objetivos.

Há, porém, os que se valem daqueles ideais como instrumento anacrônico e demagógico para chegar ao poder e trocar a revolução pela corrupção, como ocorreu com o PT. Isso pode significar, em termos nacionais e mesmo internacionais, a conclusão de uma etapa. Do mesmo modo que a vitória de Lula foi saudada por certa esquerda européia como um renascer da revolução socialista, a crise atual está levando-a a rever suas opiniões.

No Brasil, certamente, a derrocada petista assinalará o fim de uma ilusão: se é imprescindível sonhar com a sociedade igualitária para chegar a ela, é igualmente necessário não perder a noção de realidade e saber avaliar os fatores objetivos que estão em jogo.

Mas, no final das contas, qual o desfecho da crise? Há quem fale em impeachment e há quem fale em renúncia. Quanto ao impedimento de Lula, duvido que este Congresso, envolvido em corrupção, tenha autoridade para efetivá-lo, o que enfraquece a hipótese da renúncia. Na minha modesta opinião, Lula, desgastado, governará até o fim de seu mandato, primeiro e único.

Share

O domingão do mensalão

O Globo: "Após nova denúncia, PT já defende ida de Dirceu à CPI" - Assessor informal estaria em lista do Rural mas ex-ministro diz que é armação.

Jornal do Brasil: "Trapaças unem oficial ao paralelo" - Declarações de gastos incluem pequenas maracutaias; engenharia financeira movimenta cifras amazônicas.

Folha de São Paulo: "SMPB liga Valério a assessor de Dirceu" - Diretora de agência de publicidade diz que a autorização foi para R$ 50 mil; advogado de ex-ministro nega existência de documento e saque.

Share


Mais uma semana de variações sobre o mesmo tema

Share

De Musa do Mensalão a Musa da Inconfidência

A Folha de São Paulo traz hoje, em sua revista dominical, uma reveladora matéria com a ex-secretária de Marcos Valério, Fernanda Karina Somaggio, que acaba de ser promovida a Musa da Inconfidência (antes era apenas a musa do mensalão). Com essa nova e imponente credencial, Karina se sente preparada para vôos nunca dantes imaginados, como posar nua para a revista Playboy e se candidatar a deputada federal nas próximas eleições. Se tudo der certo, todos poderão entender o real significado de delação premiada.

Share


Karina na capa da Revista da Folha

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share


Revista da Folha/Foto João Castilho

Share

Karina quer posar

Matéria publicada hoje na Revista da Folha:

Pode até ser que Fernanda Karina Somaggio jamais venha a ser capa da "Playboy", mas que ela gosta de fazer uma pose, isso gosta. "Muitas oportunidades estão surgindo, tenho de aproveitar todas", acredita a secretária, no auge de sua recente carreira de celebridade. Além do convite para posar nua, que a revista nega, Karina diz ter sido procurada por quatro partidos políticos interessados em lançar sua candidatura a deputada federal nas eleições do próximo ano.

Aos 32 anos, uma borboleta tatuada na lombar, seu capital político se compõe basicamente de medidas promissoras (1,77 m, 55 kg) e uma agenda comprometedora - principalmente para o publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza, seu ex-patrão, apontado como o operador do "mensalão". Em um depoimento bomba, ela revelou encontros dele com figurões da República, que envolveu ex-colegas e confirmou a operação leva-e-traz de malas de dinheiro.

Valério afirma que, antes de fazer as denúncias na imprensa, Karina tentou chantageá-lo e ele entrou com um processo de extorsão contra ela. A secretária se defende dizendo que entregou todo mundo por patriotismo.

"Quero um país melhor, mais justo", repete.

O cachê de R$ 2 milhões, que, segundo seu advogado, ela pediria pelo trabalho de "nu artístico", também faz parte dessa busca por um país mais justo: o dinheiro será usado para custear as despesas de campanha, diz ela. Mas não só, claro.

"Acho uma bobagem essas mulheres que dizem que não tirariam a roupa por dinheiro nenhum. Eu sou dura, tenho que comprar uma casa, um carro melhor. O que vier para mim é lucro", afirma.

É o caso de perguntar: se pensa assim, por que não pegou carona no esquema das malas de dinheiro, já que esteve tão perto de Marcos Valério?

"Ele não dava esse tipo de abertura. O jogo era apenas entre os três sócios (da agência SMPB). A gerente financeira, Geiza (Dias dos Santos), já não pegava nada", conta.

Por enquanto, a superexposição não rendeu um tostão à Karina: seu ganha-pão continua sendo o trabalho de secretária em uma empresa de geologia, onde recebe R$ 2.000 por mês - R$ 500 a menos do que na agência de Valério. Mas a fama súbita já teve conseqüências profissionais: suas férias, que terminaram durante a semana, foram prorrogadas com um pedido de licença.

"Achei melhor me afastar, porque é muita gente ligando, não teria condição de trabalhar direito."

Mulher do mato Karina recebe o repórter na casa de madeira pré-fabricada que aluga por R$ 600 na Pampulha, bairro de classe média de Belo Horizonte, onde mora com o marido, Vítor, 35, e a filha Naína, 8. Tem um Ford Ka 1998 que acabou de quitar e dois cachorros, um rottweiler e um boxer.

Muito afetuosa, ela abraça longamente o repórter no portão e o conduz para a cozinha, separada da sala com poucos móveis e chão de ardósia apenas por um balcão: oferece café, enquanto mistura leite com flocos de aveia em uma xícara. Está sozinha: o marido foi trabalhar e a filha passa férias na casa de uma cunhada, em um condomínio fechado. Seus cabelos tingidos de ruivo estão molhados, ela veste um conjunto verde-musgo de calça comprida e camisão de seda e pantufas.

"Meu negócio é mato, pé no chão, fazenda. Não tenho tino artístico, não me acho bonita", diz ela, algumas horas antes de revelar uma intimidade, digamos, surpreendentemente "urbana" com a câmera.

O telefone não pára. Ela atende todos, em geral repórteres, e repete que os convites dos partidos políticos e os da revista quem resolve é seu advogado, Rui Pimenta. "Sou péssima para tratar de dinheiro." Mas não para gastar, segundo suas próprias palavras.

"Se quebrarem meu sigilo bancário, só vão descobrir que entrei no cheque especial. Meu limite no cartão de crédito é R$ 600, senão gasto mesmo."

Com o quê?

Aí ela cai em uma contradição digna de exame pelo Conselho de Ética: ela diz que não liga para grifes e justifica dizendo que "o jeans da Diesel, no corpo, parece um saco". O jeans em questão é um dos mais caros do mercado, podendo custar R$ 1.000.

"Em Londres eles não são caros", desconversa ela, que morou na Inglaterra por dois anos no começo da década de 1990; estudava inglês e morava em uma casa de família, cuidando de duas crianças.

Ao falar da frota particular de automóveis de luxo do ex-chefe ("que só veste Hugo Boss e freqüenta a Daslu"), Karina também não vacila na identificação: "Tem Pajero, Land Rover, tudo novinho", diz. Uma intimidade inesperada com carrões, para uma pessoa que diz gastar dinheiro com animais que encontra na rua. "Amo bichos. Já peguei muito vira-lata doente para cuidar em casa."

Na verdade, Karina está sendo modesta ao definir-se com tanta simplicidade. Moça versátil, ela rapidamente se transforma quando entra no fundo infinito do estúdio, para a sessão de fotos. Pelo repertório de olhares fatais e viradas de pescoço, conclui-se que, ou a secretária folheou muito editorial de moda, ou perdeu tempo correndo descalça pelo campo.

"Estou achando ótimo me ver assim", ela diz, com uma espécie de euforia contida, ao ver o resultado final.

Durante o processo de transformação, as três produtoras conversam com Karina sobre os homens envolvidos na CPMI.

"O mais bonito pra mim é o Bob Jeff. Um gato", diz Muga, 33, referindo-se ao deputado Roberto Jefferson.

"Urgh! Deus me livre!", rebate Inês.

"Eu o admiro muito. Para mentir bem é preciso ser muito inteligente", opina a secretária.

Será que Karina se acha inteligente? "Sim, muito", ela responde. Apesar da admiração por Jefferson, a secretária diz que, "como homem", prefere (o deputado tucano carioca) Eduardo Paes. "Um bonitão", avalia. Quase tanto quanto seu marido, Victor, que Karina define como "tudo de bom". Paulista da mesma cidade que ela, Mococa, Victor tem mantido um perfil mineiro: fala pouco e recusa fotos (leia entrevista acima). Ela explica que os dois se conheceram antes de ir para Londres e mantêm "uma relação ótima"; ele dá a maior força para ela nesse momento.

"Eu confio nele, ele em mim. Não confio é nas mulheres", diz.

Sobre a mulher de Marcos Valério, Renilda, que afirma conhecer apenas de telefonemas, Karina fala que "ela é o que diz ser: uma dona-de-casa".

"É óbvio que ela não sabia o que estava fazendo quando assinou aquelas procurações. Uma mulher que trabalha, tem experiência fora de casa, não assinaria de jeito nenhum. Com certeza eles enfiaram uma porção de coisas na cabeça dela, para serem ditas na hora do depoimento", acredita.

Mas solta um suspiro: "No fim, eu fico com pena. O Marcos (Valério) poderia ser rico sem desonestidade. Você sabe como mídia dá grana..."

Eu!?

Share

sábado, 30 de julho de 2005


Sugestão despretensiosa para os nossos engenheiros de tráfego

Share

Acesso Oeste estará pronto em sete meses

Do Diário Online:

A governadora Rosinha Garotinho (PMDB) anunciou ontem a liberação de recursos para a construção de uma ponte sobre o Rio Paraíba do Sul em Resende, ligando o norte e o sul do município. Além disso, serão construídos os acessos do sistema viário complementar. O projeto vai beneficiar 35% da população e os trabalhadores do pólo industrial da cidade.

De acordo com o secretário de Integração Governamental, Luiz Rogério Magalhães, foi autorizada a primeira parcela de R$ 318 mil de um montante de R$ 1,6 milhão que será investido pelo estado até o fim do ano. A obra deve ficar pronta em sete meses.

O repasse do estado é parte dos recursos necessários para a retomada das obras, que estavam paralisadas desde 2002. O valor total do investimento é de R$ 5,5 milhões, sendo R$ 2,5 milhões do governo do estado, R$ 1 milhão da Caixa Econômica, através do Programa Pró-Infra, e o restante, responsabilidade do município.

- O conjunto de obras vai aliviar o tráfego pesado na área urbana de Resende, que cresceu nos últimos anos com a implantação do distrito industrial. As obras vão revitalizar o sistema viário da região. Toda obra de infra-estrutura do porte dessa que estamos fazendo em Resende traz desenvolvimento e melhorias nas condições de vida da população - explicou o secretário.

Da colunista Márcia Peltier, no JB Online:

Rosinha acaba de liberar R$ 318 mil para que a ponte no rio Paraíba do Sul, ligando o Norte ao Sul do município de Resende, seja finalmente concluída. A obra, paralisada desde 2002, que também conta com recursos da Caixa Econômica, deve ficar pronta em janeiro de 2006.

Share


Cada da revista UM fotografada por Duran

Share

Uma selva para a bela Carol

O catalão de alma brasileira J.R. Duran - um dos maiores fotógrafos de moda e nus femininos do país - estará, a partir de hoje, sempre aqui no RA, falando sobre os bastidores do seu trabalho. E para começar, ele conta como foram feitas as fotos da atriz Carol Castro para a revista UM (Universo Masculino) que está nas bancas:

"Para a matéria, toda feita em estúdio, foi construída uma selva de verdade pelo paisagista André Ostermayer. A foto da capa é em branco e preto. Um caso raro entre publicações mensais, que preferem sempre as imagens em cores. Os editores da revista UM devem acreditar no diretor de cinema Wim Wenders que disse, um dia, que 'o branco e preto retrata apenas o essencial'."

Share


Nova edição do livro terá fotos inéditas e uma outra capa

Share

Começa a batalha por uma nova edição

Tivemos hoje um autêntico sabadão, de muito sol, nenhuma nuvem e o dirigível da Goodyear passeando pelo céu de brigadeiro. Aproveitei, como de costume, as condições favoráveis para fotografar a cidade, já pensando na segunda edição do meu livrinho aí de cima, praticamente esgotado, depois de vender quase mil exemplares. Não é nenhum Paulo Coelho mas, pelo tema de interesse local e - por isso mesmo - ser vendido só aqui, acho que está de bom tamanho.

Depois de conseguir novos patrocinadores (a parte mais difícil), a futura edição terá algumas fotos inéditas e, provavelmente, uma outra capa. Dito isso, declaro aberta, neste momento solene, a Temporada de Preparação da Segunda Edição do Livro "Resende - De Pontes, Rios e Sonhos". Se você, amigo empresário, tiver interesse em participar do projeto, faça contato imediato através do e-mail: orofoto@uol.com.br

Share


A musa Angélica com o filho Joaquim

Share

Vendo a Fama passar

De olho no global Fama - muito mais pela excelente banda que acompanha os candidatos ao estrelato do que pelos próprios -, me pego embasbacado (como sempre) com a simpatia, com o charme, com a presença de espírito, com a incrível intimidade com o público e com as câmeras e, principalmente, com a beleza luminosa da Angélica. O programa está legal, dedicado ao rock dos anos 80, mas tem uma coisa me incomodando: das seis ou sete músicas apresentadas até agora, nada menos que três são do Cazuza (uma da época do Barão Vermelho e duas da carreira solo). Tudo bem que ele seja um dos maiores representantes dos oitenta, mas eu sempre acho que a Globo - por causa do João Araújo (pai e presidente da Som Livre) e da Lucinha (mãe e incansável batalhadora pela preservação da memória do filho) - sempre puxa um pouco a sardinha para o lado do eterno exagerado. Êpa! Depois de uma inacreditável interpretação de "O caminhoneiro" (rock dos 80??), pintou "Me chama", do Grande Lobo. Por enquanto, nada de Paralamas, da Legião Urbana, do Lulu... Epa 2!! Alguém vai cantar "Será", da Legião! Tá vendo? É só falar...

Share

Mais uma do RA

Sempre preocupado com o conforto e o bem-estar de seus três fiéis visitantes, o RA inaugurou ontem um link para o serviço de busca de letras de músicas do site letras.mus.br. Na caixinha localizada logo abaixo do Ouvindo Agora, você digita o nome de uma música e, em poucos segundos, a respectiva letra aparecerá na tela do seu computador. Chique, né? O que é que o RA não faz por você...

Share

sexta-feira, 29 de julho de 2005


André Whately em um momento de "Vinicius de Moraes... É Demais!

Share

Última chance para ver "Vinicius"

Hoje à noite, no Espaço Cultural do restaurante Girassol, em Penedo, o ator e diretor André Whately, a cantora Claudia Martins e o violonista Thiago Zaidan se despedem da atual temporada do espetáculo "Vinicius de Moraes... É Demais!" Desde o início de junho, foram mais de dez apresentações no Armazém, no Girassol e - sábado passado - no auditório da CDL, show beneficente que teve a ilustre presença do violonista Marcel Powell, filho do mestre Baden Powell. Esta foi, na verdade, a quarta participação de Marcel na temporada, o que o tornou quase um membro efetivo da trupe. Para André, a partir de amanhã começa o trabalho de esboçar um novo espetáculo que pode, se tudo der certo, contar novamente com a presença do grande Marcel. Vamos aguardar e torcer, mais uma vez, pelo sucesso desse nosso talentoso e querido artista. No Girassol, a saideira de "Vinicius" começa às 21h30m, com couvert artístico a R$ 10,00. Reservas pelo telefone: 3351-1757.

Share


No clima da exposição (Reuters)

Share

Se essa moda pega...

Do UOL Notícias

Visitantes olham a exposição "A Verdade Desnuda" no museu Leopold, em Viena, Áustria. A exibição mostra obras relacionadas ao nu e a escândalos eróticos na capital austríaca em 1900. Os visitantes que forem ao museu pelados ou em trajes de banho não precisam pagar pela entrada.

Share


Resende em meio à neblina das nove e meia da manhã

Share

Dia Branco

Letra e música de Geraldo Azevedo

Se você vier pro que der e vier comigo
Eu te prometo o sol... se hoje o sol sair
ou a chuva... se a chuva cair
Se você vier até onde a gente chegar
Numa praça na beira do mar
Um pedaço de qualquer lugar
Neste dia branco, se branco ele for
Esse tanto, esse canto de amor
Se você quiser e vier pro que der e vier comigo.

Share

quinta-feira, 28 de julho de 2005

Silvinho "descassado"

Do Blog do Campbell (link nos Favoritos do RA):

Por 4 votos a 2, o TRE-RJ deu provimento parcial aos embargos de declaração apresentados pelo prefeito de Resende, Sílvio de Carvalho, e retirou da condenação a cassação do diploma, mantendo no entanto a inelegibilidade.

Na prática, o prefeito deixa de estar cassado e agora os advogados de Noel de Oliveira, o segundo colocado na disputa, é que devem recorrer à Brasília. Ainda que a decisão não seja definitiva, o prefeito ganha um gás e chega mais fortalecido no Tribunal Superior Eleitoral.

Por ter se mantido a inelegibilidade por três anos a contar da data da eleição, há uma certa polêmica sobre quais serão as conseqüências. Existe jurisprudência em casos parecidos com o de Resende, em que o candidato foi punido com a inelegibilidade, mas não perdeu o cargo.

Por outro lado, existe um outro entendimento que a inelegibilidade contaria de antes do período eleitoral e por isso a candidatura de Sílvio seria anulada. Vou conversar com os advogados especializados no assunto e, posto, quando tiver novidades!!!

Alexandre Campbell (Publicado às 19:01)

Share


Paraquedistas da FAB saltam próximo a Itaipu (Foto ABC Color)

Share

Exército brasileiro faz manobras na fronteira com o Paraguai

Do jornal paraguaio ABC Color:

"O Exército brasileiro realizou exercícios de guerra na fronteira com o Paraguai coincidentemente com a presença de tropas norte-americanas em nosso país e na zona de fronteira com o Brasil. Um grupo de paraquedistas simulou a ocupação da estação de Furnas que é encarregada de distribuir a energia de Itaipu. Autoridades brasileiras disseram que foi uma manobra de rotina com o objetivo de treinar os militares para ocupar uma cidade em situação de conflito bélico.

Mais de 300 militares da Brigada de Infantaria de Paraquedistas do Rio de Janeiro, juntamente com efetivos do 34º Batalhão de Infantaria Motorizada de Foz de Iguaçu, participaram da chamada "Operação Relâmpago", que é a maior manobra militar realizada naquela região.

Sugestivamente, essa manobra sem precedentes coincide com a presença de 46 militares dos Estados Unidos em nosso país para a realização de operações conjuntas com seus pares paraguaios e com o momento em que se discute o suposto interesse norte-americano de criar uma base militar na zona de Canindeyú."

Share


Jovem é imobilizado pela polícia durante protesto em Porto Alegre (EFE)

Share

Novo protesto contra o presidente Lula

Da Folha Online:

Três manifestantes foram presos na manhã desta quinta-feira após tumulto na saída do presidente Luiz Inácio Lula da Silva do hotel Plaza São Rafael, no centro de Porto Alegre (RS). Cerca de 40 pessoas com bandeiras do PSTU e do PSOL tentaram impedir a saída da comitiva presidencial do local e gritaram palavras de ordem como "Lula, que papelão, no seu governo só tem corrupção" e "Lula, você sabia, Marcos Valério é o seu PC Farias".

O protesto foi controlado após a chegada da Polícia Militar, que acabou prendendo três manifestantes. Lula está no Rio Grande do Sul para visitar as obras de ampliação da Refap (Refinaria Alberto Pasqualini), em Canoas, e as obras de duplicação nos quilômetros 68 e 93 da rodovia BR-101, em Osório.

O presidente retorna a Brasília ainda na tarde de hoje.

Share


O visual de Raíssa é imitado em todo o país

Share

Eclipse do sol no horário nobre

Responda depressa:

Quem é a verdadeira protagonista da novela das oito, Déborah Secco ou Mariana Ximenes?

Share

O precário equilíbrio de Silvinho na corda bamba

Se você quer saber a quantas anda a história de cassação do nosso prefeito, dê uma chegada no Blog do Campbell, ótima dica do grande Lu Cinema & Cia Gastão. Repórter político do jornal Beira-Rio, Alexandre Campbell está acompanhando de perto o processo (que envolve embargos, provimentos, pedidos de vistas e outros estratagemas jurídicos) desde o início. Neste exato momento, o placar da batalha é um empate de 1 a 1. Confira todos os detalhes clicando aqui.

Share


Flores na estação de Stockwell, onde foi morto Jean Charles
Foto EFE

Share

Por que Lula não protesta?

Publicado hoje no jornal O Globo:

Bianca Jagger é uma respeitada ativista de direitos humanos, tendo atuado em causas diversas como a defesa de populações indígenas brasileiras e contra a invasão do Iraque. Agora seu foco é a política de combate ao terror no Reino Unido. A ex-mulher do roqueiro Mick Jagger gostaria de ver maiores protestos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Como a senhora reagiu à morte do brasileiro Jean Charles de Menezes?

Bianca Jagger: Fiquei chocada, sobretudo com a maneira como a polícia agiu simplesmente por conta de uma suposição com base na aparência física de Jean. Lembrou-me um caso de pena de morte aplicada a um americano negro por causa da cor de sua pele. E não consigo aceitar o argumento da polícia de que outros inocentes podem morrer. Quem será o próximo? Um latino como uma mochila nas costas? E por que as autoridades brasileiras, especialmente o presidente Lula, não protestam com mais veemência?

Share

A culpa é dos políticos brasileiros

Escrito por Cora Rónai:

"Para o prefeito de Londres, os culpados pela morte de Jean Charles de Menezes foram os terroristas, que transformaram a Inglaterra num país de paranóicos.

Ele errou.

Os verdadeiros culpados por esta tragédia são os mesmos culpados pelos mortos nossos de cada dia, que tombam pelas esquinas sem alarde, vítimas de balas perdidas, de traficantes, de policiais equivocados. Os verdadeiros culpados são os nossos políticos, gerações deles, que nunca se preocuparam em criar um país mais justo, com educação e oportunidade para todos.

Falar é fácil, falar bobagem é mais fácil ainda. Mas fazer, que é bom, ninguém faz. É inadmissível que, num país do tamanho do Brasil, com tanta riqueza e tanto por construir, com tanto dinheiro saindo pelo ladrão, tantos Jean Charles ainda tenham que deixar sonhos e família para trás em busca de trabalho e de esperança."

Publicado hoje no blog InternETC (link nos Favoritos do RA).

Share


Em São Paulo, o caixão é transferido para um avião da FAB (Foto EFE)

Share

O triste retorno de um jovem imigrante

O corpo do brasileiro Jean Charles de Menezes - assassinado pela polícia inglesa no último dia 22, numa estação do metrô de Londres - chegou hoje ao Brasil em um avião da Varig, que aterrisou no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica (Guarulhos), às 6h25m. Depois de transferido para um avião da Força Aérea Brasileira, o corpo seguiu para a cidade de Governador Valadares (MG), onde chegou por volta das 10h30m. De lá, a viagem continuou em um caminhão do Corpo de Bombeiros até a pequena Gonzaga, cidade onde nasceu, distante 90 km de Valadares. Ao som do Hino Nacional, o caixão com o corpo de Jean Charles foi recebido por familiares e amigos que torciam pelo seu sucesso na Inglaterra. O enterro está previsto para ocorrer amanhã, às 15 horas.

Share

quarta-feira, 27 de julho de 2005


Carreata de protesto contra "Lulla" agora à tarde em Brasília (Reuters)

Share

O que pensa FHC sobre a crise

Da Folha Online:

Ontem de manhã em São Paulo - durante a abertura do Fórum Paulista de Mudanças Climáticas Globais e de Biodiversidade -, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso conversou com jornalistas a respeito da atual crise política:

Sobre o ex-governador mineiro e atual presidente do PSDB, senador Eduardo Azeredo, acusado de envolvimento com o publicitário Marcos Valério em 1988:

"É preciso analisar e, depois, discriminar. Isso é grave? Qual o grau de gravidade? Maior, menor? Está comprometendo sistemicamente? Tem responsabilidade política? É um fato que eu não conheço. Mas, se for fato, vamos examinar e colocar no contexto de outros fatos".

Sobre a ampliação da CPI para o período em que foi Presidente (e também sobre a suposta compra de votos para a sua reeleição):

"O foco não é esse. Esses são fatos passados há dez anos. Não houve nenhuma acusação de interferência nem minha nem dos ministros meus. Pode apurar à vontade, mas não tire o foco. O grave de hoje é haver algo sistemático, uma organização com apoio político de um partido. O próprio partido [PT] reconheceu, tanto que caiu toda a sua direção."

Sobre o suposto acordo entre ele (FHC) e o senador Jorge Bornhausen (PFL-SC) para blindar Lula e evitar que o vice-presidente José Alencar assumisse a Presidência:

"Não houve nenhuma combinação nesse sentido. Até porque, nunca, nenhum de nós acusou o presidente Lula de nada. Não temos por que especular o que vai acontecer com o vice-presidente."

Sobre a possibilidade de um processo de impeachment:

"Totalmente precipitado. Não há razões para estar cogitando isso."

Sobre a política econômica do governo Lula:

"É verdade que não há crise econômica. Os números do Brasil são bons. O governo Lula teve o bom senso de seguir a minha política. Mas até que ponto isso vai, não sei, não tenho bola de cristal. Os mercados sexta-feira e segunda-feira reagiram nervosamente, apesar de que os dados globais eram bons."

Sobre se candidatar novamente à Presidência da República:

"Minha candidatura nunca foi lançada. Não tem uma palavra minha diferente do que eu sempre disse: não sou candidato. Temos bons candidatos no meu partido."

Sobre um suposto complô das elites para derrubar o governo Lula:

"Pelo que eu saiba, as elites do Brasil torcem pelo presidente de uma maneira que poucas vezes vi na minha vida. Não quero falar sobre Lula. Eu imagino as dificuldades pelas quais ele deve estar passando. Sei o que é isso."

Sobre a suposta existência de caixa dois para o financiamento de campanhas dos partidos (inclusive do PSDB):

"Essa tese de que é generalizado é horrível. Não tem caixa dois coisa nenhuma. Tem de separar o joio do trigo. Não concordo nem dentro do PT, porque não são todos que fizeram safadeza."

Share

Viagem sem volta (só para a turma do mensalão)


Este bem que poderia ser o destino de muitos políticos brasileiros...

Share

Guerra deles, morte nossa

Publicado no Gabeira.com (link nos Favoritos do RA):

"Acabo de sair da Embaixada da Inglaterra. Meu interlocutor é o secretário da embaixada, Hugo Shorter. Na semana passada, estive lá entregando um documento de solidariedade com o povo de Londres e consternação com a morte de inocentes. Desta vez, fui para ouvir as explicações sobre a morte de Jean Charles de Menezes, o brasileiro assassinado pela polícia inglesa.

As autoridades britânicas dizem que sentem muito e que iniciaram uma investigação independente para determinar o que aconteceu. O interessante, e levemente contraditório, é que as autoridades inglesas anunciam uma investigação independente e elogiam a ação da polícia. Era de se esperar que um julgamento da ação da polícia ficasse para o final, quando todos os dados estiverem na mesa.

A discussão se alongou sobre perspectivas na relação dos brasileiros com a comunidade européia. Manifestei minha preocupação com a política de atirar para matar. Como disse ontem, se a vida dos inocentes não é valorizada, isto fortalece a visão da Al Qaeda, para quem não há inocentes.

Grande parte dos brasileiros na Europa pode ser facilmente confundida com árabes. Dentre esses brasileiros, existem alguns que não têm documentos legais de moradia. Isto significa que tanto eles como outros imigrantes estão correndo perigo, pois na tentativa de se esquivarem de uma abordagem que parece ser da imigração, podem estar caindo nas mãos da polícia antiterrorismo.

Comuniquei aos ingleses que iria convidar o chanceler Celso Amorim para discutir o assunto na Câmara, mas desde já concluo que a situação é muito séria e que um país como o Brasil, adversário da guerra no Iraque, tem um longo caminho para convencer outros países que mandam imigrantes para a Europa no sentido de garantirem a preservação dos direitos humanos elementares.

Seria o momento de estimular um debate internacional sobre terrorismo e imigração. As atenções por aqui estão concentradas na corrupção. Mas tentarei levar o caso adiante."

Deputado Federal Fernando Gabeira, em 26/07/05.

Share

O que eles estão obrigados a fazer

Do Blog do Noblat (link nos Favoritos do RA):

Uma vez flagrado recebendo dinheiro ilegal de campanha, o deputado Paulo Rocha (PA) largou o cargo de líder do PT na Câmara.

Roberto Jefferson (RJ) foi obrigado a se licenciar da presidência do PTB para enfrentar a tormenta que ele mesmo desatou.

José Dirceu saiu da Casa Civil e prepara seu depoimento no Conselho de Ética da Câmara.

Delúbio Soares e Sílvio Pereira acabaram defenestrados da Executiva Nacional do PT.

José Borba renunciou ao cargo de líder do PMDB sob a suspeita de ter-se beneficiado do mensalão.

O senador Eduardo Azaredo (MG) está obrigado, sim, a se afastar da presidência nacional do PSDB para ir se explicar à CPI Mista do Mensalão sobre a ajuda ilegal dada pelo empresário Marcos Valério à campanha dele para o governo de Minas.

Assim como o relator da CPI Mista do Mensalão, Ibrahim Abi-Ackel (PP-MG), está obrigado também a renunciar à função porque é inadimissível que investigue Valério depois de ter recebido dele ajuda de R$ 100 mil para se eleger deputado. O dinheiro não foi declarado à Justiça. O que torna Abi-Ackel um criminoso.

Se o PFL correspondesse à imagem de seriedade que tenta construir para si mesmo já teria desfiliado o deputado Roberto Brandt (MG). Ele recebeu dinheiro das empresas de Valério e escondeu a doação da Justiça Eleitoral.

Publicado por Ricardo Noblat às 09:43

Share

Para Fidel, Estados Unidos ameaçam o Brasil

No dia 5 deste mês, postei aqui no RA uma matéria assinada por Mauro Santayana, colunista da Agência Carta Capital, que falava sobre a instalação de uma base militar americana em território paraguaio. Hoje de madrugada, a Folha Online publicou um alerta do presidente cubano Fidel Castro sobre os riscos que isso representa para toda a América Latina e, em especial, para o Brasil. Como considero o assunto de extrema gravidade, reproduzo na íntegra a reportagem:

O presidente cubano, Fidel Castro, denunciou nesta terça-feira que os Estados Unidos estão criando um "dispositivo militar" para "deter" o movimento político na América Latina e intervir "inclusive no Brasil". Castro afirmou que Washington tem "uma mentalidade intervencionista" e planeja "entrar na Bolívia quando for preciso, e intervir inclusive no Brasil".

Os Estados Unidos "andam buscando bases e criando dispositivos militares para deter a América Latina com as armas", disse Castro ao comentar o envio de 400 soldados americanos ao Paraguai.

Em um discurso de quatro horas por ocasião do 52º aniversário do assalto ao Quartel Moncada, Castro afirmou que Washington "precisa de uma base contra os latino-americanos e contra qualquer processo político revolucionário na América Latina".

"Há dois ou três dias entraram 400 soldados americanos no Paraguai. O que fazem lá? Será que há uma nova União Soviética ali, ao lado do Paraguai? Para que querem uma base? Quem vão bombardear lá?" - perguntou o presidente cubano para as mais de 5 mil pessoas que assistiam ao ato.

Segundo o "comandante", os Estados Unidos "não aceitam a realidade de que seu sistema conduz à catástrofe" e que a Alca (Área de Livre Comércio das Américas) "é um fracasso". Fidel também advertiu que não tolerará as "provocações" dos dissidentes cubanos, que chamou de "mercenários", e destacou os avanços sociais e econômicos em Cuba.

Vestido com seu tradicional uniforme verde oliva, Fidel qualificou de "provocações" estes atos de dissidência, "animados" pelo escritório de interesses dos Estados Unidos em Havana. A oposição cubana realizou protestos em Havana em 13 e 22 de julho. "A propagada dissidência ou suposta oposição em Cuba não existe além da mente fértil da máfia cubano-americana e dos burocratas da Casa Branca e do departamento de Estado".

O "comandante" também dedicou parte de seu discurso para lembrar que no primeiro semestre de 2005 "a economia cubana cresceu 7,3% e deve terminar o ano com alta de 9%", o que será o maior crescimento desde 1990, quando começou a crise cubana, consequência do desaparecimento da União Soviética e do recrudescimento do embargo americano.

Share

terça-feira, 26 de julho de 2005

Orkut: a máquina de conhecer gente

Escrito por Cora Rónai

Na semana passada, o Orkut ficou mal na fita: a Polícia Federal descobriu uma rede de traficantes vendendo drogas tranqüilamente através de algumas comunidades. Resultado: a essa altura, pais e mães preocupados estão subindo parede de costas ao ver os filhos adolescentes colados na familiar telinha azul clara. Mas, se posso dar um conselho a esses pais, o conselho é: sosseguem. Como o resto da internet, o Orkut é um espelho do mundo real. Há de tudo lá, bom e mau, exatamente como aqui fora. Mas há duas características do Orkut que, bem utilizadas, podem transformá-lo na melhor máquina de conhecer filho jamais inventada, depois da boa e velha atenção cuidadosa.

Estou falando das listas de amigos e de comunidades, a partir das quais se pode chegar a um retrato bastante fiel das companhias e gostos pessoais de cada um. Além de ler os perfis dos amigos, entrem nas comunidades e tentem ficar em dia com o que seus filhos têm escrito naquelas das quais participam. Vale lembrar, porém, que freqüentemente elas funcionam apenas como referência de hábitos e de preferências; nem sempre são, necessariamente, locais de encontro ou de bate-papo.

A idéia geral por trás dessa aparente contradição é compor um mosaico virtual da personalidade, uma colcha de afinidades que sinaliza, para outros orkuteiros, o tipo de pessoa que se é ou, pelo menos, que se gostaria de ser. Eu mesma quase não participo da vida das inúmeras comunidades às quais pertenço, por exemplo, mas uma visita à minha lista revela muito a meu respeito. Através delas, é possível saber que sou jornalista de tecnologia, que mantenho um blog, que tenho insônia, que esqueço tudo, torço pelo touro (nas touradas), acho software livre fundamental, nasci no dia 31 de julho, moro na Lagoa, amo o Rio, os gatos e uma certa capivara, faço foto digital e, até, que adoro o milkshake de Ovomaltine do Bob's.

Sim, pasmem, até sobre isso existe comunidade no Orkut. Aliás, comunidades, no pural, mais especificamente oito, sendo que a mais populosa tinha, até a noite de sexta-feira, exatos 191.608 participantes. Êta milkshake popular, hein?

Quando conheço alguém, uma das minhas primeiras providências é ver se este alguém está no Orkut. Não para saber com quem estou falando, porque isso ainda se descobre mais facilmente em pessoa, mas para cortar uma quantidade de atalhos que, na "vida real", eu levaria meses para cobrir. O que lê o meu novo amigo, do que gosta, quais são seus principais interesses, como se sente em relação a coisa que considero importantes? Em geral, podem apostar: está tudo lá.

Esta quantidade de informações pode ser uma mão na roda para aproximar pais e filhos ou, no mínimo, para deixar os pais mais conscientes do que vai pela cabeça dos filhos. Se antigamente era comum crianças e adolescentes com pouco diálogo com a família escreverem diários na esperança de que os pais os "descobrissem", hoje este papel cabe aos blogs e ao Orkut.

A seleção de comunidades fala por si só; mas, para que dê seu recado, é preciso que seja vista, acompanhada e, discutida. Às vezes as comunidades funcionam como um sinal de alerta; e, quase sempre, dão ótimas dicas aos pais a respeito das atividades que os jovens gostam ou não de exercer, de quem são seus ídolos, do que admiram ou cobiçam.

O Orkut, como a internet, não é má companhia por si mesmo, nem leva ninguém para o mau caminho. Mais uma vez, vale o conselho de sempre: conversem com seus filhos, fiquem tão atentos ao que estão fazendo no computador quanto na rua e eles estarão a salvo, na medida em que é possível se estar a salvo no mundo de hoje.

Publicado no blog InternETC (link nos Favoritos do RA) em 25/07/05.

Share


As lágrimas de Renilda

Share

Pausa para os comerciais

E a zeloza esposa do maleiro MV Vuitton, hein? Não suportou a chapa quente da CPI e caiu no choro...

Share


Imagem publicada no blog Comentando

Share

Meu marido é um amor de pessoa

Neste exato momento, enquanto a Discovery ganha o espaço sideral, Renilda Maria Santiago de Souza, mulher do carequinha Marcos Valério, depõe na CPI mista dos Correios sob fogo cerrado da senadora Heloísa Helena. Opinião pessoal e intransferível: desse coelho não sai cartola! Mais um tiro n'água dos investigadores do mensalão.

Share

Da série Circulando pela Grande Rede

Caro Presidente Lula:

Nos últimos meses, estive analisando a desenvoltura com que o seu governo age diante de tantos desafios e cheguei à conclusão de que invejo a sua postura. Estudei nos melhores colégios, formei-me em uma das mais conceituadas universidades da minha área e já fui de tudo na vida, prefeito, governador, deputado federal e presidente de uma grande empresa (minha mesmo) que exporta para o mundo inteiro.

Já estive em muitos países acompanhando grandes negociações, fui recebido por presidentes, primeiros-ministros e xeiques árabes. Fui também consultado por inúmeros políticos do Brasil e do Mundo sobre questões de administração pública. No entanto, com todo esse currículo e experiência, uma coisa ainda não entendi:

Como é que se rouba tanto e de maneira tão descarada, seu filho da mãe? Me liga...

Paulo Maluf

Share

Serviço de utilidade pública

Como o roubo de telefones celulares cresce cada vez mais, repasso essa informação de caráter preventivo:

Para obter o número de série do seu celular, digite: *#06#

Aparecerá no visor um número de 15 algarismos. Este é um código único. Escreva-o na sua agenda. Se o seu celular for roubado, ligue imediatamente para a central de atendimento da sua operadora e informe o código anotado. A partir daí, o aparelho estará bloqueado, mesmo que o ladrão mude o cartão SIM.

Com essa simples providência, mesmo que você não recupere o seu estimado aparelhinho, quem roubou nunca poderá usá-lo.

Se todos fizessem isso, o roubo de telefones celulares seria inútil.

Share

Novo visual para o Penedo.Tur

Nosso grande amigo Celso Dutra decidiu reformular o seu site dedicado a Penedo e, o que já era bom, ficou ainda melhor. Lá você encontra, entre outras coisas, listas atualizadas dos hotéis e restaurantes locais (com os respectivos endereços, telefones, e-mails e sites) e o calendário completo do VII Festival de Inverno das Agulhas Negras. Para visitar, clique em www.penedo.tur.br.

Share

segunda-feira, 25 de julho de 2005

Diário de bordo do André - Parte dois

Grande Otacílio:

Fizemos uma apresentação memorável do espetáculo "Vinícius de Moraes... É Demais!" sábado passado no salão da CDL. O show fazia parte de um jantar para arrecadar fundos para a Escola Sagrado Coração de Jesus, sendo essa a primeira empreitada da nova diretoria do CDL Jovem de Resende, tendo à frente Romana Lamim, proprietária das lojas Sublime - do Centro Empresarial e do Resende Shoping - e sua competente equipe.

Tivemos mais uma vez a presença do fantástico violonista Marcel Powell, fazendo uma participação especialíssima, tanto na parte do show dedicada à parceria de Vinicius com seu pai Baden Powell, quanto no final do espetáculo, quando ele demostra todo o seu grande talento tocando clássicos da MPB. A novidade dessa vez foi uma marcha lindíssima que Baden compôs especialmente para a visita da Rainha da Inglaterra ao Brasil. A própria rainha tinha solicitado a presença do violonista tocando para ela no cerimonial e quem deu o recado ao Badeco foi o próprio Vinicius. Realmente, um momento mágico da noite que teve, como sempre, as presenças da Claudia Martins (no vocal), do Thiago Zaidan (no violão) e deste seu amigo interpretando os textos e as poesias.

Como se não bastasse, tivemos também a presença de Sílvia Powell, viúva de Baden, e sua amiga Ângela Nogueira, viúva de João Nogueira. Elas ficaram encantadas com o espetáculo! Sílvia me confidenciou que se Vinícius estivesse vivo também iria adorar, pois muitas vezes, quando saiam juntos (Baden, Vinicius e Sílvia) para assistirem a shows, o poetinha dizia: "Sílvia, eu não suporto essas declamações catedráticas de poesia, como se fosse cerimonial... poesia tem de ser dita naturalmente." E Sílvia completou dizendo que o nosso show é formidável, diferente de tudo o que ela já assistiu sobre Vinicius. Comentários como esse, de uma testemunha ocular da história da Bossa Nova, faz com que sigamos em frente. Mais uma vez, sentimos sua falta.

Grande abraço.

André Whately

Enviado em 25.07.05 às 18:15h

Share

O governo está uma bagunça

Editorial de hoje do jornal britânico Financial Times:

"Eleito para tornar o Brasil e seu governo mais eficiente, limpo e honesto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva parece estar falhando em todos os quesitos.

Apesar do contínuo otimismo no mercado financeiro, o governo do senhor Lula da Silva está uma bagunça. O presidente precisa se mover com urgência para resolver uma crise política que pode contaminar a economia do Brasil. O escândalo de corrupção no país é o mais sério desde o impeachment e a renúncia do presidente Fernando Collor, 13 anos atrás.

A cada dia, surgem novas alegações de compra de votos e outras irregularidades. Líderes do partido de centro-esquerda de Lula, o PT, admitiram o financiamento impróprio de campanhas eleitorais. Alguns dos auxiliares mais próximos do presidente renunciaram e o escândalo preocupa tanto os congressistas que eles não têm tempo nem energia para qualquer outro negócio. A pauta de reformas do governo foi virtualmente paralisada.

Até agora, a economia tem sido isolada dessas dificuldades. Um forte desempenho comercial e preços altos de produtos agrícolas e minerais, combinado com altas taxas de juros de curto prazo, significa que a moeda do Brasil, o real, está firme. A inflação caiu, mas há sinais de que o cenário econômico está se deteriorando. Os investidores locais já estão adiando decisões até depois das eleições do próximo ano. Embora as circunstâncias internacionais estejam correndo a seu favor, a economia se expande em ritmo mais lento. Este ano, o crescimento pode ficar abaixo dos três porcento. Se cair ainda mais, a ainda significante dívida pública brasileira pode aumentar em relação ao PIB.

Na semana passada, um número de bancos internacionais recomendou mais cautela em relação ao Brasil como resultado das incertezas políticas. Tudo isso significa que, para Lula, é urgente demonstrar liderança e começar a reconstruir a confiança no seu governo. O presidente tem algumas importantes vantagens. A maioria dos brasileiros não o culpa pelo escândalo e parece improvável – ao contrário do ex-presidente Collor – que ele seja forçado a abreviar o mandato. Sua popularidade permanece alta, com pesquisas recentes indicando que ele é ainda o favorito para vencer as eleições presidenciais em 2006.

A crise demonstrou a necessidade de uma longamente adiada reforma política, destinada a produzir partidos mais estáveis e representativos, mas isso provavelmente será impraticável de ser alcançado nas atuais circunstâncias. Os objetivos de Lula devem ser mais modestos.

Como primeiro passo, no entanto, ele deve reconhecer a extensão da crise e assumir alguma responsabilidade por tê-la deixado ocorrer. O presidente então precisa reorganizar o governo em torno de um programa para assegurar estabilidade. Falhar agora significa desperdiçar os avanços alcançados por Lula durante o primeiro ano no poder."

Publicado no Blog do Noblat (Link nos Favoritos do RA)

Share

Blog do Noblat interditado para comentários

Aviso aos leitores (do Blog do Noblat):

"O botão Comentários, abaixo de cada nota, será desativado de hoje para amanhã devido à ação dos vândalos que entram aqui com o propósito de impedir ou desestimular o debate democrático de notícias e de idéias. Só voltará a ser reativado quando tiver sido adotada uma solução radical que impeça a ação deles.

Seja qual for, a solução garantirá o direito de todos - inclusive dos vândalos - de acessarem o blog para ler o conteúdo. Mas limitará a postagem de comentários. Infelizmente não tenho outra saída. E desde já peço desculpas aos que se sentirem prejudicados por ela.

Até que os técnicos da Digital Media Vox e do IG desativem os tais botões, não postarei mais notícias."

Ricardo Noblat

Publicado ontem às 15h56m.

Share

A importância dos comentários

Quando iniciei o Resende Agora - há quase cinco meses -, fiquei preocupado com o número ínfimo de comentários que o blog vinha recebendo. A pergunta que eu me fazia era: será que os meus posts são tão desinteressantes que ninguém se anima a comentá-los? Depois imaginei que uma maior audiência poderia resolver o problema e passei, então, a enviar avisos (via e-mail) de novidades no blog a pessoas que, de certa forma, me permitiam essa liberdade. A audiência (auferida pelos contadores de visitantes) aumentou bastante, mas os comentários continuavam restritos aos que eu chamava de "meus três fiéis leitores".

Daí, resolvi criar um outro site - o Dezmais! - conectado ao RA para estimular o debate, através de listas dos dez melhores (ou maiores ou mais desejados etc) em diversas categorias (filmes, livros, discos, entre outras). Resultado: nenhum comentário até agora. E a preocupação aumentava à medida que eu constatava os altíssimos números registrados nos blogs do Noblat, da Cora Rónai, do Soares Silva e dezenas de outros que eu freqüento diariamente. Só para dar um exemplo, o Blog do Noblat comemorou outro dia o recorde de 1.182 comentários em um único dia!

Mas, de repente (não mais que de repente), a minha preocupação deixou de existir. Foi quando eu constatei que a grande maioria dos comentários postados no Noblat eram de pessoas que estavam ali só para tumultuar o blog, falando de coisas que não tinham nada a ver com o assunto em questão e repetindo inúmeras vezes o mesmo post (boa parte deles, por sinal, recheados de cabeludíssimos palavrões). Já no blog da Cora - o Internetc -, descobri que a freqüencia maior é de parentes e amigos de longa data, que aproveitam o espaço dos comentários para trocar informações sobre tudo, desde receita de bolo e rações para gatos até o que fazer quando o monitor do computador deixa de funcionar. Ontem mesmo, deixei um comentário no botão embaixo de uma foto do Millôr (falando sobre a entrevista dele no Almanaque) e acabei perdido no meio de posts que discutiam o lançamento de um novo modelo de celular com câmara fotográfica (onde comprar, quanto custa, vantagens e desvantagens das linhas Tim e D500 e por aí afora). Me senti um intruso numa reunião familiar!

Diante disso, acho que não posso reclamar muito da falta de comentários, se bem que quando eles são pertinentes, dão um gás danado para os solitários administradores de blogs. É bom saber que estamos sendo lidos, que todo o nosso esforço para oferecer um produto de qualidade não é em vão. Por isso, animem-se!! Enviem os seus comentários - parentes, amigos, anônimos ou desconhecidos (que logo se tornarão íntimos) - e ajudem este blog que fala pelos cotovelos a aumentar, cada vez mais, o nível do debate na infinita rede.

Share

domingo, 24 de julho de 2005


Manifestantes brasileiras hoje em Londres

Share

O trágico destino de um brasileiro na Inglaterra

"Não vou comentar em detalhes o que ocorreu na estação de metrô, mas tenho a dizer que os policiais envolvidos - homens muito corajosos que estão agindo em nome dos cidadãos londrinos - estavam perseguindo um homem que deu a eles fortes motivos para acreditar que estava envolvido em terrorismo." - Jack Straw (Ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha).

"Foi uma tragédia para Menezes e sua família, e eu lamento profundamente o ocorrido. Mas creio que a polícia está fazendo o melhor, sob as mais impressionantes condições, para fazer julgamentos difíceis e nos proteger. Por isso, eu os parabenizo." - Charles Clarke (Ministro da Justiça britânico).

"Meu primo estava indo para o trabalho e eles disseram que ele teve uma atitude terrorista. Aqui é uma correria daquelas. Às vezes, você corre para pegar o metrô porque, se perder e estiver em cima da hora, só vai pegar outro dali três, quatro, dez minutos. Então ele foi baleado na cabeça, quando estava de costas. Foi uma estupidez muito grande, não tem como explicar" - Vivian Menezes, 21 anos, que morava na mesma residência que o primo Jean Charles em Londres.

Trechos retirados de matérias publicadas na Folha Online, nos dias 23 e 24 de julho. Fotos da Agência Reuters.

Share


Foto de Flávio Colker publicada na revista Trip deste mês

Share

Cássia Eller não morreu de overdose

Acaba de chegar às livrarias a primeira biografia da saudosa - mas sempre presente - Cássia Eller. Escrito pelos jornalistas Eduardo Belo e Ana Cláudia Landi, "Apenas uma Garotinha – A História de Cássia Eller", da Editora Planeta, conta a trajetória de uma de nossas maiores cantoras, desde a infância - "quando ela aprendeu a usar o troninho com menos de um ano de idade" - até a morte súbita e polêmica (sobre isso, os autores sustentam que a causa foi o coração e não as drogas). O livro está a venda no site da Livraria Saraiva por R$ 24,80 e pode ser comprado agora clicando aqui. Para ler a bela matéria da revista Trip, clique aqui.

Share

Limpando o HD diante da TV

Como anunciei ali embaixo, essa madrugada assisti a entrevista do Millôr no Almanaque, da Globo News. Durante 22 minutos corridos (sem intervalo comercial), o mestre maior falou sobre traduções, sobre a rotina diária, sobre o Pif-Paf e O Cruzeiro, sobre a infância, sobre o início da carreira e, finalizando, sobre a corrupção ("seria um alienado se não falasse disso no meu trabalho"). Ver e ouvir Millôr zerou o meu disco rígido, que já estava entupido de tantos absurdos e mentiras. Como gravei a entrevista, a partir de agora poderei repetir a limpeza do HD a cada fim de semana, bastando para isso, apertar a tecla play do videocassete.

Share

Enquete do Noblat: Lula vai concluir o mandato?

Resultado até agora (11h30m):

Sim: 34% <><> Não: 66%

Para votar, visite o Blog do Noblat (link nos Favoritos do RA).

Share

Valério nega chantagem e ameaça o PT

Trecho de matéria publicada na Folha de hoje:

"O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza acusou ontem a direção do PT de tentar lhe aplicar um calote ao não querer assumir a responsabilidade por empréstimos que suas empresas contraíram nos bancos Rural e BMG, por ordem do ex-tesoureiro do partido, Delúbio Soares. Ele disse que irá à Justiça contra o PT e pedirá o bloqueio do fundo partidário para garantir o pagamento das dívidas.

As empresas dele fizeram cinco empréstimos bancários, em 2003 e 2004, cujo valor atualizado ultrapassa R$ 93 milhões. Os recursos foram repassados ao PT (mediante contratos de empréstimos entre suas empresas e o partido) para financiar campanhas eleitorais de petistas e da base aliada.

Visivelmente nervoso, o empresário negou que tenha chantageado o PT e exigido R$ 200 milhões, conforme noticiado pela revista Veja neste final de semana. Segundo a revista, ele teria telefonado ao ex-presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), querendo garantias de que não seria 'enjaulado' e dinheiro para garantir um futuro tranqüilo para sua família.

Para o publicitário, o PT declarou guerra e ele se sente 'sem compromisso com ninguém do partido' a partir de agora. Negou que tenha ordenado queima de notas fiscais em Belo Horizonte e afirmou que em uma semana desembarcará em Brasília com 'quilos de documentos'.

'Quem tiver motivos para preocupação pode ir se preocupando', disse. 'Estão querendo me caracterizar como chantagista para me darem o calote. Isso eu não vou aceitar', afirmou o empresário, em entrevista exclusiva à Folha."

Share


As revistas exibem variações sobre um mesmo tema

Share

As tristes manchetes do domingo

Revista Veja: "A chantagem" - Como Valério está chantageando o governo; a farsa do crime eleitoral; o desmonte da farsa; a lavanderia do PT; especialista diz que depoentes mentiram; o tráfico de influência na Petrobras; personagens e bastidores da CPI; Ibope dos depoimentos revela país maduro; Ivan Guimarães, o genérico do Delúbio.

Revista Istoé: "Desilusão" - Avalanche de denúncias de corrupção deixa políticos em pânico, decepciona e estressa os brasileiros; especialistas ensinam a lidar com esses sentimentos; dicas para manter o bom humor.

Revista Época: "Caixa dois: A farsa" - Como os bancos amigos foram favorecidos. Dinheiro fantasma serviu para acobertar negociatas, financiar o mensalão aos deputados da base aliada e sustentar a máquina política do PT.

Jornal do Brasil: "Pobreza ignora o mensalão" - Vida real: Denúncias de corrupção no governo preocupam menos do que as privações do dia-a-dia. Dieta: Crise obriga Lula a encolher o espaço do PT e o torna prisioneiro dos partidos de centro. Flagelo: dispostos a limpar a imagem, petistas negociam a cassação do mandato de cinco caciques.

O Globo: "CPI já investiga bancos e empresas do valerioduto" -
Telefônicas e empreiteira também sob suspeita de abastecerem esquema.

Folha de São Paulo: "Valério ameaça contar o que sabe" - O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza acusou ontem a direção do PT de tentar lhe aplicar um calote. Em entrevista à Folha, Valério disse que o partido não quer assumir a responsabilidade por empréstimos que suas empresas contraíram nos bancos Rural e BMG, a pedido do PT.

Share

sábado, 23 de julho de 2005

Do diário de bordo do André

Grande Otacílio:

Sentimos sua falta ontem na apresentação do "Vinicius de Moraes... É Demais!" no Girassol em Penedo, contando mais uma vez com a participação especialíssima do Marcel Powell, trazendo outras novidades... Depois do show demos uma esticada até o novo Güela Seca (também em Penedo), onde num cantinho o Marcel plugou seu violão e ficamos ouvindo, na madrugada fria, samba, choro e outras delícias mais. Quem estava cantando era o Nill, que apreciou com muita satisfação, assim como o Thiago Zaidan que também mostrou serviço com pérolas do Chico Buarque. Foi bárbaro, lembramos muito de você... Cheguei em casa às 6:00 da manhã... O show foi ótimo, estava lotado e aconteceu uma situação no mínimo engraçada: o Marcel, depois de se apresentar (no final estava inspiradíssimo), saiu e um senhor que estava sentado logo em frente ao palco, se levantou e o interceptou dizendo firmemente: "seu pai foi rei, você é o príncipe, permita-me beijar seus pés", falando sério, insistindo muito, num misto de emoção com sei lá o quê!!! Imagine a cara do Marcel... É claro que ele não permitiu!

Hoje, estaremos no CDL, e voce é sempre nosso convidado especial. O Marcel comentou que a mãe dele, Sílvia, viria (aliás, por essa hora ela já deve estar em Resende). Grande abraço e até lá. Saravá!!!

André Whately em 23.07.05 às 14:50h.

Share

Para recarregar as baterias

A quem interessar possa: de hoje para amanhã, meia-noite e meia na Globo News, entrevista com Millôr Fernandes no programa Almanaque. Depois de uma semana inteira ouvindo bobagens das bocas governamentais - "melhor falar bobagens do que fazer bobagens" - acho que mereço alguns momentos de pura inteligência (acompanhada de caráter, honestidade, competência, talento etc, etc, etc). Amanhã, com certeza, estarei renovado, pronto para outra semana de absurdos.

Share


O Rei dos Salgadinhos agora há pouco, com lotação esgotada

Share

Sábado de compras

A bela manhã de hoje está perfeita para passear no Calçadão, caminhar no Parque das Águas, comer uma casquinha de siri no Rei dos Salgadinhos, tomar um expresso na Cultura e Cia e - por que não? - fazer compras nos shoppings. As tradicionais liquidações de inverno continuam a pleno vapor, tanto no Centro Empresarial quanto no Resende Shopping. E mesmo sabendo que muita coisa não vale a pena (ainda que a alma seja grande), sempre há a chance de se encontrar aquele caríssimo casaco que você namorava há um tempão sendo vendido a preço de banana. Qualquer coisa, é só pedir para debitar a fatura na conta do Marcos Valério. Afinal, muita gente boa já fez isso.

Share


O Mega Bazar do Centro Empresarial continua atraindo compradores

Share


No Resende Shopping, lojas expõem suas mercadorias do lado de fora

Share

A chantagem

Sob o título acima, e assinada por Otávio Cabral, a Veja que começa a circular hoje publica como reportagem de capa a história da tentativa de chantagem feita pelo empresário Marcos Valério em cima do governo. Ele ameaçou contar tudo, tudinho.

"Na manhã do dia 9 de julho, um sábado, Marcos Valério, o publicitário-lobista-laranja do mensalão, estava uma pilha de nervos. Em Belo Horizonte, sentia-se pressionado por todos os lados e, desesperado, telefonou para o ex-presidente da Câmara, o petista João Paulo Cunha, que estava em Osasco. Falaram-se por celular. "Eu vou estourar tudo", ameaçou Valério, descontrolado.

Disse que não agüentava mais a situação e contou que faria a delação premiada – mecanismo pelo qual um réu diz o que sabe em troca de um alívio na pena. "Vocês vão se ferrar. Avisa ao barbudo que tenho bala contra ele", disse Valério, numa chantagista referência ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

João Paulo, que àquela altura se preparava para ir à reunião da cúpula do PT que acabaria chancelando o afastamento de José Genoíno da presidência do partido, entrou em estado de pânico. Até aquele sábado, Valério tinha garantias de que nem a quebra de seu sigilo no Banco Rural revelaria suas operações. Tudo o que viria a público seriam os altos saques feitos numa agência do Rural em Belo Horizonte, e não se ficaria sabendo que o dinheiro fora efetivamente entregue na agência do Rural em Brasília. A identidade dos verdadeiros favorecidos pelo dinheiro, portanto, ficaria eternamente sob o manto do anonimato.

Ele soube, no entanto, que tudo ia aparecer – e ficou desesperado com a idéia de que poderia ser preso. Na ligação para João Paulo, fez exigências abertas para poupar o governo. Queria duas coisas: a garantia de que não seria enjaulado e a chance de obter um dinheiro graúdo, e lícito, para assegurar seu futuro e o da família.

Uma maneira de ganhar esse dinheiro seria intermediando o fim da interminável liquidação do Banco Econômico, instituição que fechou as portas há dez anos. Como corretor da operação junto ao ainda dono do banco, o baiano Ângelo Calmon de Sá, Valério calcula que poderia amealhar uns 200 milhões de reais – soma equivalente à comissão de 20% sobre uma operação que, dependendo da forma como for encaminhada, poderá totalizar até 1 bilhão de reais.

Nesse ambiente em que se fala de milhões como se dinheiro caísse do céu, é bom parar e pensar no que significam 200 milhões de reais. Dariam, por exemplo, para comprar, via mensalão, o apoio de uma centena de deputados por quase seis anos.

Apavorado, o ex-presidente da Câmara avisou o ex-ministro José Dirceu e o ex-tesoureiro Delúbio Soares das ameaças de Valério, ainda na manhã de sábado. "O cara ficou louco, vai explodir tudo", disse. Em seu rol de chantagens, Valério ameaçou, inclusive, citar o nome de empresas que segundo ele teriam doado dinheiro não contabilizado, para ficarmos no jargão oficial, ao PT.

Como prova de sua disposição em contar tudo caso não fosse atendido em seus pleitos, Valério ainda disse que tinha munição contra dois ministros recém-empossados: Saraiva Felipe, da Saúde, e Hélio Costa, das Comunicações, ambos do PMDB mineiro. Segundo Valério, os dois teriam usado sua lavanderia de dinheiro em campanhas eleitorais. Consultados por VEJA, os dois ministros negam veementemente a irregularidade."

Publicado hoje no Blog do Noblat (link nos Favoritos do RA).

Share

Brasil bate recorde mundial de tempo na web

Os usuários residenciais de internet no Brasil navegaram, em média, 16 horas e 54 minutos na internet no mês de junho, maior tempo registrado no mundo, informou o Ibope NetRatings. De acordo com relatório divulgado nesta sexta-feira (22/07), o País ficou à frente da França, com 15 horas e 40 minutos em média, do Japão (15h e 35 minutos), dos Estados Unidos (14 horas e 46 minutos) e da Espanha (14 horas e 46 minutos). No mês anterior, o Brasil havia registrado 16 horas e 55 segundos, atrás do Japão, que foi líder com 16 horas e 12 minutos. O número de internautas residenciais no mês de junho chegou a 11,55 milhões, contra 11,52 milhões registrados em maio.

Publicado ontem no site O Jornalista

Share

sexta-feira, 22 de julho de 2005


Imagem do blog Comentando

Share

Os argumentos do Lula (e os contra-argumentos do Noblat):

"Nesse país está para nascer alguém que queira discutir ética (comigo)."

Por que Lula imagina que é mais ético do que os demais brasileiros? Por que pensa que detém o monopólio da ética? Há gente tão ou muito mais ética do que ele. Que nunca morou de graça, por exemplo, em apartamento emprestado por empresário amigo. E que nunca interferiu, uma vez eleito para cargo de relevo, em favor de negócio que interessava a seu antigo hospedeiro.

"Sou filho de pai e mãe analfabetos."

O país está cansado de saber disso. E lamenta pelos pais dele. E lamenta também por ele ter sido filho de pais analfabetos. Ao mesmo tempo, admira a trajetória de um filho de pais analfabetos que chegou onde ele chegou.

"E conquistei o direito de andar com a cabeça erguida com muito sacrifício."

De fato conquistou. Mas tem muito filho de pais analfabetos que também conquistou o direito de andar com a cabeça erguida. E muito filho de pais alfabetizados que não conquistou. O fato de ter nascido de pais analfabetos e de ter conquistado o direito de andar de cabeça erguida não é um feito raro nem digno de exaltação. Filho de pais analfabetos não está condenado necessariamente a andar de cabeça baixa.

"Não vai ser a elite que vai fazer eu abaixar a minha cabeça."

A frase trai duas coisas pelo menos: um certo complexo de inferioridade ao meu ver injustificável. E um sentimento contra a "elite" que ele não define qual seja, e da qual se exclui sem razão. Se por elite entendermos, por exemplo, os mais abastados, sinto muito dizer, mas ela não quer nem precisa que Lula baixe a cabeça. Ele já baixou. Rendeu-se aos principais interesses dela. E a seus pontos de vista.

Se por elite Lula entende os intelectuais que sempre tratou com um certo desprezo, os mais politizados, aqueles, enfim, que em grande parte ofereceram apoio às pretensões dele e do partido dele, aí incorre em grave equívoco. Essa fatia da elite está justamente decepcionada porque ele baixou a cabeça. Rendeu-se a práticas que condenou no passado - como a de se aliar a qualquer um para se manter no poder. E revelou-se despreparado para governar.

Postado hoje no Blog do Noblat (link nos favoritos do RA).

Share


Colírio em dose dupla: as gêmeas Bündchen, Patrícia e Gisele

Share

Três novas máximas do Millôr

"Devido ao nosso esplêndido superávit, o Banco Central e o Banco do Brasil estão botando dinheiro pelo ladrão."

"Dirceu disse várias vezes que ia botar os pingos nos Is. Não botou. Agora todos os companheiros estão botando Is nos pingos dele."

"Se isto é o país do futuro, bom mesmo é um país do passado."

Millôr é o primeiro dos Favoritos do RA.

Share

Mudando de assunto

Por acaso alguém viu a imensa lua cheia que nasceu ontem (às 18h30m) por detrás do Morro do Surubi? De fazer esquecer o mensalão...

Share


Taí um bom programa para o fim de semana: Pé de Jaca na Pindorama

Share

Partidos possíveis onde nada é impossível

Em um dos intervalos do Jornal Nacional de ontem, fui surpreendido pela propaganda obrigatória (tal qual a CPMF) de um desconhecido partido de nome, digamos, pitoresco: PAN (Partido dos Aposentados da Nação). E eu que pensava não fosse achar mais nada absurdo nessa inacreditável política brasileira, principalmente depois do depoimento da ex-esposa do quase ex-deputado Waldemar Costa Neto na Comissão de Ética da Câmara, anteontem. O diálogo da senhora Maria Cristina Mendes Caldeira com um dos parlamentares a respeito de malas (cheias ou não de dinheiro), poderia tranqüilamente fazer parte de um quadro do Zorra Total, com o sério risco de vir a provocar nos telespectadores mais risos do que os profissionais da Globo são capazes. Mas, retomando o fio da meada, depois de assistir os segundos de fama do PAN, me passou pela cabeça o que aconteceria se os vários segmentos da sociedade resolvessem fundar partidos próprios para garantir o mensalão das crianças. Poderíamos ter, dessa maneira, siglas para todos os gostos e propósitos. Por exemplo:

PBC (Partido das Bilheteiras de Cinema)
PSC (Partido dos Surfistas Cariocas)
PM do P (Partido dos Madeireiros do Pará)
POP (Partido dos Observadores de Pássaros)
PDS (Partido das Duplas Sertanejas)
PDV (Partido dos Delúbios e Valérios)
PEP (Partido dos Entregadores de Pizza)
PGM (Partido dos Gandulas do Maracanã)
PVF (Partido das Vizinhas Faladeiras)
PFP (Partido dos Farmacêuticos de Plantão)
PMS (Partido dos Malabaristas do Sinal)
PVN (Partido das Vilãs de Novela)
PDD (Partido dos Despachantes do Detran)
PPP (Partido dos Papagaios de Pirata)

Faça também a sua lista. Participe!! Envie hoje mesmo para o RA e concorra a duas viagens a Brasília transportando 100 mil dólares na cueca.

Share

quinta-feira, 21 de julho de 2005


O bairro de Realengo, subúrbio carioca, na visão do francês Jano
Imagem publicada no site Quadrinho

Share

Delícias suburbanas

Dando um rolé pelo excelente Filthy McNasty (link nos Favoritos do RA), encontrei uma referência ao Suburbia Tales, blog feito por legítimos - e orgulhosos - suburbanos cariocas. No perfil de cada um, além do nome, data de nascimento e o bairro onde mora, o visitante também pode conhecer as mais perfeitas (e hilárias) definições de subúrbio. Ei-las:

"Cadeiras de praia que só servem pra botar na calçada em frente ao portão de casa pra fazer fofoca com a vizinha do lado." Da Cris, de Vila da Penha.

"Banho de mangueira." Da Rachel, de Bonsucesso.

"Pronúncia errada do nome do próprio bairro, casa do vô e da vó, carros rebaixados com pneus e aparelhagens de som que custam mais que o próprio carro, ir e voltar da praia de ônibus, fazendo algazarra." De Hazel, do Méier (pronuncia-se méia).

"Era Niterói mesmo. Não era São Gonçalo nem Alcântara. Mas bem que esse pessoal de São Gonçalo e Alcântara tem mania de dizer que mora em Niterói. assim como Niteroiense, pra quem é de fora, diz que mora no Rio. Subúrbio é conhecer todo mundo onde você mora, e todo mundo saber da vida de todo mundo, e saber mais coisas sobre você do que você mesmo (sabia que eu fui pro exterior pra ter meu filho em paz? pois é, eu não sabia)." Da Lia, de Niterói.

"É porta aberta, as criança tudo correndo, sair pegando doce no dia de São Cosme e São Damião e fazer promessa pra subir a igreja da Penha de joelhos pela graça alcançada." Da Lila, do Méia, de Riachuelo, de Irajá, da Vila Isabel, ou seja, suburbana itinerante.

"Andar de chinelo pelas ruas. Mas não de Kenner ou de Havaianas Fashion. O lance era havaiana das antigas, e sandália Samoa." Da Carla, da Vila da Penha.

"Fazer festa de primo com tema de futebol, no quintal onde mora toda a família, colocar toldo-pára-quedas se chover e lavar o quintal no dia seguinte." Da Cinha, de Inhaúma (mas nascida no Leblon).

"Ensaios exaustivos de quadrilha de São João para representar bonito seu bairro em festas juninas pela cidade, pegar doce de Cosme e Damião e assistir às Copas do Mundo com os vizinho tudo no meio da rua." De Robs, de Vaz Lobo.

Share

Recorrendo aos clássicos

"Ser ou não ser, eis a questão.
Será mais nobre sofrer na alma
Pedradas e flechadas do destino feroz
Ou pegar em armas contra o mar de angústias
E, combatendo-o, dar-lhe fim?

E assim a reflexão faz todos nós covardes.
E assim o matiz natural da decisão
Se transforma no doentio pálido do pensamento.
E empreitadas de vigor e coragem,
Refletidas demais, saem de seu caminho,
Perdem o nome de ação."

Primeiro e último parágrafo do ato 3, cena 1 de Hamlet, de Shakespeare, com tradução do grande Millôr.

Share

Deixando de lado os clássicos

"É muito melhor falar bobagens do que fazer bobagens." Do presidente Lula em discurso de improviso, ontem, no Recife.

Share

quarta-feira, 20 de julho de 2005


Imagem publicada no blog Comentando

Share

Frases de malas e dízimos

"Há malas que vêm para os bens." Do blog Comentando

"O Senhor é o meu pastor. Se a Polícia Federal não apreender, nada me faltará." Idem.

"Para cada mala de dinheiro, milhões de carteiras vazias." De Fernando Bonassi, no Blog do Tas

"Dízimo com quem andas e eu te direi quem és." No Casseta e Planeta, de ontem.

Share


O Museu das Bruxas de Salem é a principal atração da cidade

Share

As Bruxas de Salem

Estréia hoje no Auditório do Senac "As Bruxas de Salem" (The Crucible), uma das mais famosas peças do escritor e dramaturgo norte-americano Arthur Miller, falecido em fevereiro deste ano, aos 90 anos de idade. Baseada em uma história real ocorrida em 1692 na vila de Salem - hoje uma cidade turística, localizada no estado de Massachusetts (EUA) - a peça conta o drama de um pequeno grupo de adolescentes puritanas que costumavam passar o tempo na floresta inventando poções destinadas a deixar os rapazes apaixonados. Descobertas em um desses inocentes rituais, as jovens foram obrigadas, pelos rígidos pregadores da comunidade, a assumir que estavam possuídas pelo demônio, iniciando um processo de caça às bruxas que culminaria na condenação e morte de 19 pessoas. Com duas versões cinematográficas na bagagem - a primeira em 1957 e a última em 1996, com Daniel Day-Lewis e Winona Ryder nos papéis principais - "As Bruxas de Salem" será encenada em Resende pelo grupo de teatro Cidade dos Pés, em uma adaptação de Julien e D'La França. O elenco de oito pessoas é formado por Edilaine Maciel, Bianca Franco, Julien, Fernanda Fontanezzi, Iara Andrade, D'La França, Brunna Barcelos e Juliana Honda. A direção, a produção e o figurino são assinados por D'La França. As apresentações acontecem nos dias 20, 21, 22, 27, 28 e 29 de julho às 20 horas e, nos dias 23 e 30, às 15 horas. Os ingressos (a R$ 5,00) podem ser adquiridos na Livraria Nobel (Resende Shopping, 2º piso) e no Senac, que fica na Rua José Sarkis, 80, Jardim Jalisco.

Share


Fachada de um edifício da cidade de Piracicaba, interior de São Paulo

Share

Atitude de um cidadão indignado

"Depois de imprimir o banner acima, me dei conta, ao lê-lo, que este presidente, na verdade, está fazendo exatamente o que nele está escrito, 'FORA'. Pois é só isso o que ele faz: só dá 'FORA', está por 'FORA' de tudo, está sempre 'FORA' do país."

Trecho de uma mensagem de Carlos Henrique Mattioli (autor do banner e dono do apartamento da foto), enviada por José Eduardo Bruno.

Share


Guardas-chuvas cruzam a Ponte Velha nesta fria quarta-feira

Share

O temido desfecho

Zuenir Ventura em sua coluna no jornal O Globo, de hoje:

A cada dia que passa, a cada depoimento ou revelação, a sensação é de que a crise política está caminhando para um desfecho que não se deseja — por se temer o que possa vir depois — mas que parece inevitável: a descoberta de que o envolvimento do presidente com os acontecimentos é maior do que se admite. Ninguém gostaria de ver Lula comprometido diretamente com os escândalos, nem mesmo a oposição, não por solidariedade, evidentemente, mas porque prefere mantê-lo no governo fraco e desmoralizado, até 2006.

O problema é que Lula não tem colaborado e continua cometendo erros uns atrás dos outros, mantendo uma relação esquizofrênica com a realidade. Ele se comporta como se o país estivesse dentro da normalidade. Quando se esperava que fosse reagir ao desastre com uma obra de saneamento, aterrando o lamaçal para começar de novo sobre outras bases, única maneira de atenuar os estragos sofridos, promove uma reforma ministerial em cuja eficácia só ele parece acreditar.

Quando resolve falar, foi o que se viu em Paris, onde até a escolha do veículo é discutível: por que, tendo toda a imprensa brasileira lá, preferiu uma freelancer da televisão francesa? Com tanta coisa para dizer, optou por justificar um crime eleitoral sob a alegação de que é cometido "sistematicamente", como se a repetição conferisse legitimidade ao ilícito e esquecendo que 53 milhões de pessoas votaram nele justamente para mudar esse sistema corrupto.

Cobrou que se diga à sociedade "onde o PT errou, por que o PT errou", mas nada sobre os próprios erros. Será que não desconfia que, tanto quanto o PT, ele deve explicações ao país? Ou será que não dá por que não as têm? "Trabalhar com a verdade é muito melhor", ele disse, e todo o trecho soou como uma gafe diante da barafunda geral de mitômanos e cleptômanos que cercam seu governo: "A desgraça da mentira é que você, ao contar a primeira, passa a vida inteira contando mentiras para justificar a primeira que você contou." Pois é.

O senador Pedro Simon, do PMDB do B, ou seja, do bem, que torce pelo melhor, disse anteontem no programa do Jô que Lula ainda poderia aproveitar a crise para passar tudo a limpo, através de um choque moral e de gestão, tentando uma volta por cima. "Lula tem a obrigação de fazer uma limpa, de demitir, por exemplo, o presidente do Banco Central, que está sendo processado por corrupção." Só que, ele completou meio desanimado, em lugar de governar com a sociedade, "Lula prefere se aliar a Sarney e a Renan Calheiros". O primeiro seria hoje o principal conselheiro do rei.

Share

O lado claro da lua

Aviso aos lobisomens de plantão (daqui e do Planalto Central): a lua, neste exato momento - 10 horas da manhã -, está 100% cheia.

Share


Os Três Tenores se apresentam no Teatro Nacional de Brasília
Imagem publicada no Blog do Noblat

Share

terça-feira, 19 de julho de 2005

Novo blog na praça

Acabo de receber uma mensagem do grande Lu Gastão anunciando o seu novo blog, que é, na verdade, a retomada de um antigo projeto interrompido para balanço. Fui até lá fazer uma visita e gostei muito, tanto do visual quanto do conteúdo, dirigido aos amantes do cinema, da literatura, da música e de todas as artes. Bom saber que agora terei um companheiro da terrinha nessa imensa blogsfera, com quem espero trocar zilhões de figurinhas virtuais. Daqui a pouco, o blog do Lu já poderá ser acessado nos Favoritos do RA, mas se você quiser dar uma chegadinha lá agora, não perca mais tempo: é só clicar em Cinema & Cia

Share


Livro faz acusações ao presidente da CSN

Share